7º FESTU – Festival de Teatro Universitário

7º FESTU / crédito Zeca Vieira_Kast_NIte

  A programação da 7ª edição do FESTU – Festival de Teatro Universitário é uma maratona teatral com montagens criadas por jovens da cena universitária brasileira. De esquetes a espetáculos, passando por gêneros como drama, musical, teatro-dança e palhaçaria, o evento promove uma intensa troca entre as escolas de artes cênicas e revela novos talentos. Criado em 2010 pelo produtor Miguel Colker e pelo diretor e ator Felipe Cabral, o FESTU ampliou a sua programação e realiza, pela primeira vez, a Mostra Destaques 6° FESTU, que marca a abertura do festival no dia 30 de agosto, na CAIXA Cultural Rio de Janeiro.

 Durante a Mostra Destaques 6° FESTU, o público tem oportunidade de conferir um recorte do ano passado, com oito peças curtas criadas por jovens estudantes de artes cênicas de universidades do Rio de Janeiro (Unirio, Martins Pena, PUC e Universidade Candido Mendes), da Bahia (Universidade Federal da Bahia) e do Distrito Federal (Universidade de Brasília). As produções fazem parte da seleção de 27 esquetes que participaram da mostra competitiva no ano passado.

 Dos seis esquetes do Rio, quatro foram premiados no FESTU 2016: “2 Homens e 1 Dinheiro” (melhor ator para Cassio Duque), “Do Fim Para Frente” (melhor iluminação para Gabriel Prieto, trilha original para Rodrigo Trindade e melhor figurino para Dora de Assis), “País das Maravilhas” (direção de Movimento para Cia. Os Brincantes), “Procura-se Profundidade” (melhor cenografia para Cia. Pá). A Mostra também apresenta os esquetes cariocas “Do Lar ou Star” e “Saudades-Branca”. A peça “Combatente Maria” é uma criação de jovens atores da Bahia. Já de Brasília, o evento traz “Stanisloves-me”, que recebeu o prêmio de melhor atriz para Bruna Martini.

 “É um festival que incentiva a pesquisa e valoriza muito o jovem. Queremos promover muitos encontros, trazer cada vez mais cenas de fora do Rio para o evento. Essa troca enriquece muito a cena. É teatro feito por jovens e para jovens”, diz Felipe Cabral, diretor e curador artístico. “O FESTU é um evento de experimentação, diversidade de olhares e ponto de encontro de universitários de diversos estados que formarão o futuro do teatro brasileiro, como atores, diretores, iluminadores, figurinistas, cenógrafos e demais profissionais do meio”, acredita o diretor Miguel Colker.

 Depois da CAIXA Cultural, o FESTU segue com a programação da Mostra de Espetáculos, que terá uma versão ampliada no Teatro Cesgranrio. Entre 9 de setembro e 1º de outubro, durante quatro semanas, o evento apresenta 13 espetáculos selecionados de universidades do Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte. “Tentamos traçar um panorama de estilos na segunda edição da Mostra. Teremos espetáculos de teatro-dança, musicais e palhaço”, explica Felipe.

 Premiada no FESTU 2016 em três categorias (Melhor Esquete, Direção e Texto Original), a peça mineira “Chão de Pequenos” abre a mostra no dia 9. Idealizada pela Companhia Negra de Teatro, os atores Felipe Soares e Ramon Brant narram a vida de dois jovens abandonados pela família. De Minas Gerais, também foram selecionados os espetáculos “19:45!”, da Miúda Cia; e “Litoral”, ambos da CEFART.

 As produções cariocas escolhidas são dos cursos de artes cênicas da CAL, Martins Penna, Unirio, UCAM e UFRJ: “A Casa dos Felizes”, “Crianças de Terezin”, “E Agora, Aonde Vamos?”, “Eu (quase) Morri Afogada Várias Vezes” (Coletivo “As Mina”), “Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812”, “O Último que Sair Apague a Luz”, “Um Bonde Chamado Bocejo” e “Vida de Galileu”. Vencedora do prêmio de melhor atriz no FESTU do ano passado, Bruna Martini, da Universidade de Brasília, volta ao festival com “Stanisloves-me” em duas versões – esquete e espetáculo. 

 A Mostra de Espetáculos também traz a peça “Parte de Nós”, do projeto social Entre Lugares, formado por atores moradores do Complexo da Maré, que este ano marca a estreia do “Cidade Unida” – uma ação de aproximação social criada pelo FESTU em parceria com projetos de artes cênicas da periferia do Rio de Janeiro: Escola do Teatro da Laje, do professor Verissimo Da Laje Junior; e REC, da professora Natalia Di Vaio. Com o intuito de potencializar o intercâmbio entre jovens de diferentes Zonas da cidade, o Cidade Unida realizou workshops com ex-participantes do FESTU, promovendo a troca de experiências de forma prática, numa via de mão-dupla.

 Na última etapa do FESTU, a concorrida Mostra Competitiva Nacional chega ao Teatro SESI no dia 4 de outubro. Esse ano, foram 152 inscritos de 07 estados. Depois do processo de seleção, com apresentações ao vivo, foram escolhidos 27 esquetes. Com entrada franca, o público pode acompanhar todas as apresentações e votar no melhor. As produções concorrem em dez categorias: Melhor Esquete, Melhor Ator, Melhor Atriz, Esquete pelo Júri popular, Melhor Direção, Melhor Direção de Movimento, Texto Original, Melhor Iluminação, Melhor Cenografia e Melhor Figurino. O grande vencedor recebe um patrocínio de R$ 40 mil para montar um espetáculo que já tem sua participação garantida no Festival de Curitiba em 2018.

 SOBRE O FESTU

 Criado em 2010 pelo produtor Miguel Colker e pelo diretor e ator  Felipe Cabral para fomentar e revelar novos talentos, o FESTU é um festival voltado para jovens estudantes que desejam um espaço para mostrarem e desenvolverem seus trabalhos. Com a premissa de apresentar novos talentos e incentivar a carreira de futuros realizadores, o Festival de Teatro Universitário (FESTU) chega à sua sétima edição em 2017.

 Em seis edições, o festival apresentou 158 esquetes, tendo patrocinado seis espetáculos e premiado 51 categorias. A cada ano, um novo júri é formado para julgar os projetos em competição. Já passaram 53 profissionais de artes cênicas pelo júri do FESTU. Entre eles, estão nomes como: Marília Pêra, João Falcão, Jô Bilac, José Wilker, Otávio Augusto, Debora Lamm, Renata Mizrahi, Pedro Kosovski, Jorginho de Carvalho, Tonico Pereira, Gregório Duvivier, Aurélio de Simoni, Victor Garcia Peralta, Deborah Colker e Lilia Cabral.

 Site oficial: www.festu.com.br

 DE 30/8 A 3/9 DE 2017 – MOSTRA DE DESTAQUES 6º FESTU

 “2 Homens e 1 Dinheiro” | Unirio e Martins Pena (RJ)

Premiado no FESTU 2016: melhor ator para Cássio Duque.

Sinopse: Em um ponto de ônibus, durante a espera pelo transporte, dois homens disputam o único dinheiro restante após uma brincadeira malsucedida. Um duelo em que vale tudo, até cotonete molhado. Texto, direção e atuação: Akauã Santos e Cássio Duque.

 “Combatente Maria” | Universidade Federal da Bahia (BA)

Sinopse: É sobre a força da mulher, ser que é ignorado há 200 anos e ainda é até hoje. A montagem acompanha a trajetória daquelas que lutaram pela independência das terras do Brasil, contada por Maria Quitéria de Jesus, uma voz que representa muitas outras Marias. Texto: Yanna Vaz. Ator e direção: Clara Troccoli, Bruna Nolasco e Yanna Vaz.

 “Do Fim Para Frente” | PUC e Universidade Cândido Mendes (RJ)

Premiado no FESTU 2016: melhor iluminação para Gabriel Prieto, melhor trilha original para Rodrigo Trindade e melhor figurino para Dora de Assis.

Sinopse: A esquete conta a trajetória de alguém preso em um buraco no fundo do mar. Neste lugar, sem perspectivas, existe uma cabeça que ainda pensa. A proposta é explorar os limites entre a palavra e o gesto, com um corpo que existe e uma mente que não descansa. As atrizes convocam o espectador a olhar para seus limites. Até que ponto as fronteiras se sustentam e estruturam a ordem? Texto: Isis Pessino. Elenco: Isis Pessino e Julianna Firme. Direção e cenografia: Criação Coletiva – grupo “Dupla de 3”. Iluminação: Gabriel Prieto. Figurino: Dora de Assis.

  “Do Lar ou Star” | Unirio (RJ)

Sinopse: Do lar ou star? aborda a crise de uma menina do interior do Rio de Janeiro. Por meio das técnicas do Cabaré, são explorados o melodrama, o humor e elementos grotescos e surpreendentes. A cena busca quebrar a dicotomia e padrões enraizados socialmente à figura da mulher. Os dois polos de desejo da personagem trazem um conflito existencial que, beirando o melodramático, não parece ter soluções razoáveis, ainda mais quando há questões familiares inesperadas. Texto e atuação: Julia Bravo e Lívia Bravo. Direção: Amanda Tedesco.

 “País das Maravilhas” | Universidade Cândido Mendes (RJ)

Premiado no FESTU 2016: Melhor Direção de Movimento para Cia. Os Brincantes.

Sinopse: Dentro de uma plataforma de 2 m², a Cia. Os Brincantes apresenta uma releitura de “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll. Dessa vez, o país para o qual a menina recebe um chamado é o Brasil, o país das “Maravilhas”. Alice deve cumprir a missão de devolver a coroa à Rainha Dilmátria, tomada, injustamente, pelo impostor Temerus – uma sátira à situação política atual. Texto: adaptação do texto “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, pela Cia. Os Brincantes. Elenco: Barbara Mendes, Letícia Lobo, Paula Raia e Valber Rodrigues. Direção, Cenografia e iluminação: Cia. Os Brincantes.

 “Procura-se Profundidade” | Unirio (RJ)

Premiado no FESTU 2016: Melhor cenografia para Cia. Pá.

Sinopse: Movidos pela angústia, seres errantes questionam e criticam a superficialidade. A luz é direcionada à dúvida. Um exercício aberto que se conclui quando o espectador da continuidade à reflexão. Será que é possível se aprofundar no que não conhecemos? Texto: Luiza Loroza, Matheus Neves e Victória Pozzan. Elenco: Álvaro Victor, Dora Kutno Freind, Luiza Rennó Loroza, Matheus Neves e Victória Fontenele Pozzan. Direção: Luiza Loroza (criação coletiva). Cenografia: Victória Pozzan (criação coletiva).

 “Saudades-Branca” | Unirio (RJ)

Sinopse: Numa estação de trem, três personagens esperam cada uma o seu embarque. O apito do trem anuncia uma mudança em suas vidas. “Saudades-Branca” é isso: é a nossa alma dizendo para onde quer voltar, é a saudade do futuro, a segurança do presente e um sorriso ao olhar o passado. É um instante onde a imaginação é levada por balões e cartas que nunca foram entregues. Texto: Multifoco Cia. de Teatro. Elenco: Bárbara Abi-Rihan, Camila Zampier, Viviane Pereira. Direção, cenografia, iluminação e figurino: Ricardo Rocha.

 

“Stanisloves-me” | Universidade de Brasília (DF)

Premiado no FESTU 2016: Melhor atriz para Bruna Martini.

Sinopse: Ilsen é uma atriz que só fez uma peça em toda a sua vida, mas, como tem grande intimidade com Stanislavski, seu mentor espiritual, ela promove um workshop para quem quer ingressar na vida artística. Uma paródia que traça o limiar entre o imaginário coletivo e a vida particular de trabalhar como atriz no Brasil. Texto: Simone Reis e Bruna Martini. Elenco: Bruna Martini, Bruno Barbato e Tassiana Rodrigues. Direção: Simone Reis.

   DE 9/9 A 1/10 – MOSTRA DE ESPETÁCULOS 

“Chão de Pequenos” | Centro de Formação Artística e Tecnológica da Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes (MG)

Premiado no FESTU 2016: Melhor Esquete, Melhor Direção e Melhor Texto Original para Ramon Brant e Felipe Soares.

Sinopse: Idealizada pela Companhia Negra de Teatro, a peça é baseada em histórias reais. Com direção de Tiago Gambogi e Zé Walter Albinati, e texto de Ana Maria Gonçalves, Felipe Soares e Ramon Brant, a montagem narra a vida de dois jovens abandonados pela família. A linguagem da cena foi criada a partir de pesquisa em dança-teatro e em teatro físico, tendo como referência as companhias de dança DV8 –  Physical Theatre, de Londres, e Jo Stromgren Kompani, de Oslo. Os figurinos foram inspirados nas pesquisas com garotos que vendem balas no sinais de Belo Horizonte. Elenco e concepção: Ramon Brant e Felipe Soares. Direção: Tiago Gambogi e Zé Walter Albinati.

 “Eu (quase) Morri Afogada Várias Vezes” | Coletivo “As Mina” | CAL, Unirio, Martins Penna (RJ)

Sinopse: Em sua primeira peça, o Coletivo “As Minas” investiga o feminino e convida o público a uma reflexão acerca da desigualdade entre os gêneros. A peça percorre a vida de dez mulheres comuns. Com rotinas e histórias bem diferentes entre si, elas descobrem sua força no poder do encontro. Nessa história, misturam-se ficção e realidade: as trajetórias pessoais das atrizes se entrelaçam às de seus familiares e pessoas próximas, bem como aos infindáveis relatos de redes sociais e reportagens. Essas dez mulheres vão descobrir, junto do espectador, a importância de encontrar e abraçar o feminino que reside dentro delas mesmas e do outro. Texto: Isadora Cecatto e Naara Barros. Elenco: Ayene Vieira, Elisa Caldeira, Isadora Cecatto, Jessica Obaia, Lucélia Pontes, Maíra Garrido, Maria Carolina Rocha, Naara Barros, Natasha Pasquini e Rayza Noiá. Direção: Brunna Napoleão.

 “Um Bonde Chamado Bocejo” | Unirio (RJ)

Sinopse:  Quatro palhaços, cansados do ego inflado de grande parte dos atores, prendem os protagonistas no porão do teatro e ficam com o palco livre para experimentar sua própria versão do bonde. Texto: Clarice Lissovsky e Padu. Elenco: Bel Flaksman, Gé Lisboa, Laura Becker e Sergio Kauffmann. Direção: Victor Seixas.

 “Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812” | CAL (RJ)

Sinopse:  Na Rússia do século XIX, uma história de amor, perdão e redenção surge à sombra da invasão napoleônica. Baseado no clássico literário “Guerra e Paz”, de Leon Tolstói. O espetáculo é resultado de um curso de teatro musical da Casa das Artes de Laranjeiras (CAL). Texto: Baseado na obra “Guerra e Paz”, de Leon Tolstói. Elenco: Maria Clara Cristóvão, Mariana Montenegro, Natália Glanz, Mateus Penna Firme, Ricardo Gaio, Vitor Louzada, Caio David, Victor Aragão, Antonia Medeiros, Thaiani Daniëls, Ana Lobo, Ingrid Manzini, Anna Priscilla Lacerda, Cilene Guedes, José Guerra, Pedro Luiz Azevedo, Duda Blei, Julia de Aquino, Pedro Mondaine, Bernardo Pinheiro,  Suzana Felske, Lucas de Oliveira, Elis Loureiro, Luiz Filipe Carvalho. Direção: Menelick de Carvalho.

 “Parte de Nós” | Projeto Entre Lugares (RJ)

Sinopse: Tiago Ribeiro construiu a dramaturgia tendo como ponto de partida os depoimentos dos integrantes do elenco. É um texto que narra a partir de pequenos contos situações que envolvem o preconceito e a intolerância na vida cotidiana. Texto: Tiago Ribeiro. Direção: Renata Tavares e Tiago Ribeiro. Elenco: 28 atores moradores do Complexo da Maré integrantes da 6ª edição do projeto Entre Lugares.

 “O Último que Sair Apague a Luz” | UCAM (RJ)

Sinopse:  A peça conta a história de um engenheiro que percebe sua mente em colapso após o anúncio de sua demissão. Ele precisa encontrar uma solução para esse problema e salvar a sua família. Elenco: André Mansur, Emilze Junqueira, Laura Menezes, Letícia Catalá, Paula Raia, Renan Sato, Silvio Martins e Tatianne Freitas. Direção: Pedro Emanuel.

  “Crianças de Terezin” | Martins Penna (RJ)

Sinopse: Baseado no relato de uma menina sobre a vida em um campo de concentração, o sonho e as existências em exílio são as premissas para a construção da dramaturgia física do espetáculo. Direção, concepção e roteiro: Roberto Lima. Elenco: Integrantes do Núcleo de Pesquisa Corporal e Dança para Atores, composto por ex-alunos da Escola de Teatro Martins Penna.

  “Vida de Galileu” | UFRJ (RJ)

Sinopse:  Baseado na obra “Vida de Galileu”, de Bertolt Brecht. Galileu Galilei descobre que é a terra que gira em torno do sol, e não o oposto. A revelação é uma ameaça na ordem dos setores mais conservadores da época que reagem para calar o apaixonado Galileu. Direção e adaptação da obra “Vida de Galileu”, de Bertolt Brecht: Ian Calvet. Elenco: Elisa Ottoni. Geise Lima, Giovanna Infante,  Guilherme Bon, Mari Milani, Pedro Alegre.

  “A Casa dos Felizes” | Martins Penna (RJ)

Sinopse: Aos 40 anos de idade, Crisóstomo se pôs triste por não ter um filho. Seus amores haviam falhado e tudo lhe falava pela metade. Em busca do filho pela vila de pescadores, histórias se cruzam. Texto: Dramaturgia construída em processo colaborativo, livremente inspirado na obra “O Filho de Mil Homens”, de Valter Hugo Mãe. Elenco: Bárbara Monteiro, Brenda Monteiro, Juliana Cerqueira, Lulu Carvalho, Maria Celeste Mendozi, Pedro Barroso, Rayana Diniz, Tainá Pimenta, Vinícius Mousinho, Willams Costa e William Freitas. Direção: Ricardo Rocha.

  “E Agora, Aonde Vamos?” | CAL (RJ)

Sinopse: Uma companhia de teatro decide apresentar uma peça para as autoridades locais. A peça escolhida narra a história de uma aldeia isolada onde cristãos e mulçumanos iniciam uma guerra religiosa. Elenco: espetáculo de conclusão do curso técnico da CAL, com elenco composto por 22 alunos. Direção Musical: Charles Kahn.

 

 

 “19:45!” | Miúda Cia | CEFART (MG)

Sinopse: Uma família, um casamento, um acidente, um aceno ou uma dúvida. Às vezes, dos fatos mais simples aos mais surpreendentes, nos perguntamos: afinal, foi por acaso? Direção e Dramaturgia: Rita Clemente.  Elenco: Babú Pereira, Carolina Cândido, Diego Roberto, Éder Reis, Flor Barbosa, Natália Pereira, Marina Tadeu, Priscilla Zopelaro, Ramon Brant, Tom Castro e Vanessa Machado.

 “Litoral” | CEFART (MG)

Sinopse: Um jovem ocidental parte para um país distante na tentativa de enterrar o corpo do pai. Ao se deparar com um cenário desconhecido, ele precisará desconstruir seus medos, buscando a própria história. Texto: Wajdi Mouawad. Elenco: Alessandra Salomão, Camila Botelho, Clara Brandão, Diego Roberto, Erika Rohlfs, Gabriela Fernandes, Hugo Bittencourt, Izabella Assis, Lui Rodrigues, Michele Bernardino e Regelles Queiroz. Direção: Grupo Quatroloscinco – Tetro do Comum, Assis Benevenuto, Ítalo Laureano, Marcos Coletta e Rejane Faria.

 “Stanisloves-me” | Universidade de Brasília (DF)

Premiado no FESTU 2016: Melhor atriz para Bruna Martini.

Sinopse: Ilsen é uma atriz que só fez uma peça em toda a sua vida, mas, como tem grande intimidade com Stanislavski, seu mentor espiritual, ela promove um workshop para quem quer ingressar na vida artística. Uma paródia que traça o limiar entre o imaginário coletivo e a vida particular de trabalhar como atriz no Brasil. Texto: Simone Reis e Bruna Martini. Elenco: Bruna Martini, Bruno Barbato e Tassiana Rodrigues. Direção: Simone Reis.

 

 

SERVIÇO FESTU 2017

 

De 30/8 a 3/9 de 2017 – Mostra de Destaques 6º FESTU

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena.

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca).

Informações: (21) 3980-3815.

Horário: 19h.

Duração: 90 min.

Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia-entrada).

Lotação: 171 lugares (+ 4 para cadeirantes).

Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 13h às 20h.

Classificação etária: Livre.

Acesso para pessoas com deficiência

Ordem de apresentação dos 8 esquetes em cada sessão:

“Combatente Maria”, “Procura-se Profundidade”, “Do Fim pra Frente”, “País das Maravilhas”, “Do Lar ou Star”, “Dois Homens e 1 Dinheiro”, “Stanisloves-me” e “Saudades Branca”.

  De 9/9 a 1/10 – Mostra de Espetáculos 

Local: Teatro Cesgranrio.

Endereço: Rua Santa Alexandrina, 1011 – Rio Comprido.

Informações: (21) 2103-9682.

Horário: Quinta e sexta, às 20h. Sábado e domingo, às 19h.

Ingressos: R$ 30 e R$ 15. O espetáculo “Vida de Galileu” tem entrada franca.

Lotação: 266 lugares.

Bilheteria: Terça a domingo, das 10h às 20h30.

Dias/Espetáculos:

09 e 10/9: “Chão de Pequenos”. Duração: 50 min.

14/9: “Eu (quase) Morri Afogada Várias Vezes”. Duração: 1h40min.

15/9: “Um Bonde Chamado Bocejo”. Duração: 1h5min.

16/9: “Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812”. Duração: 2h15min. 

17/9: “Parte de Nós”. Duração: 2h.

21/9: “O Último que Sair Apague a Luz”. Duração: 1h10min. 

22/9: “Crianças de Terezin”. Duração: 45 minutos.

23/9: “Vida de Galileu”. Duração: 1h.

24/9:  “A Casa dos Felizes”. Duração: 2h.

28/9: “E Agora, Aonde Vamos?”. Duração: 1h45min.

29/9: “19:45!”. Duração: 1h20min.

30/9: “Litoral”. Duração: 2h.

01/10: “Stanisloves-me”. Duração: 1h.

 

De 4 a 7/10 – Mostra Nacional Competitiva  

Local: Teatro SESI.

Endereço: Rua Graça Aranha, 1 – Centro.

Informações: (21) 2563-4164.

Horário: das 19h às 21h30.

Duração: 2h30min.

Entrada franca.

Lotação: 250 lugares.

Bilheteria: De terça a sábado, das 12h às 20h.

Classificação: Livre.

 

 

 www.caixacultural.gov.br | @imprensaCAIXA

https://www.facebook.com/CaixaCulturalRioDeJaneiro

 

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*