A dádiva de ser um professor

Quando eu era apenas uma criança meu pensamento era de que aos 35 anos uma pessoa era velha. Hoje, com 60 anos, me sinto na melhor fase da minha vida.

Claro que o corpo não é mais o mesmo – joelhos com alguns problemas articulares, um pouco acima do peso, “chuteiras aposentadas” e uma vontade incrível em ficar na tranquilidade do meu lar – mas a mente a mil!

Sempre que penso a respeito, acredito que tenha achado a “fonte da juventude”, pois em sala de aula nas faculdades onde leciono, muitas experiências são trocadas – aprendidas e ensinadas – entre o corpo discente e o corpo docente.

Claro que fico contente nas férias por não ter responsabilidade de horário, confecção e correção de provas. Mas quando começa o semestre, limpo a mente e imagino a alegria de rever meus queridos alunos.

Soube que o lema do BOPE é “quando se faz o que se gosta, vive-se de férias”. Domenico de Mais nos fez conhecer o Ócio Criativo na qual profetizou: “Para alguém que exerce uma atividade criativa, não existe tempo livre, não existe tempo de trabalhar. Está tudo junto”.

Vivo hoje, sob esses fundamentos!!!

E você? Fica triste na segunda-feira e contente na sexta-feira?

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here