Arte Pública chega às praças históricas do Rio

Foto divulgação

Entre os dias 4 e 14 de novembro, sete praças históricas da cidade do Rio de Janeiro receberão o Festival Carioca de Arte Pública. O evento, que chega à sua 3ª edição, vai mobilizar diversos artistas de rua, que gastarão muita sola de sapato em apresentações e cortejos que vão se estender por Cinelândia, Praça Marechal Âncora (próximo à Praça XV), Praça Muhammad Ali (localizada no Boulevard Olímpico), Cais do Valongo, Praça da Lapa, Praça XV e Praça Mauá.

O Festival, fruto do Fórum Carioca de Arte Pública, é coordenado por um dos maiores expoentes e fomentadores da arte e da cultura nacional, o ator, diretor e teatrólogo, Amir Haddad. “Artistas e grupos públicos de rua terão a oportunidade de mostrar a sua importância para o desenvolvimento e crescimento social. Serão duas semanas em que se manifestará a diversidade da Arte Pública que se apresenta nos espaços abertos da cidade, convive e tem relação direta e horizontal com a população do Rio de Janeiro. Mais que uma proposta, uma possibilidade para a cidade e para um possível futuro”, destaca.

Sempre em defesa da Arte Pública e sua livre expressão, o evento, que conta com espetáculos para adultos e crianças, tem o patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura, realização do Instituto Tá Na Rua e da Companhia Brasileira de Mystérios e Novidades.

– O conceito de “Arte Pública” ainda é muito novo e, ao mesmo tempo, muito antigo. Uma arte que se faz e que se produz para todos, sem distinção de classe ou nenhuma outra forma de discriminação, podendo ocupar todo e qualquer espaço, e com plena função social de organizar o mundo, ainda que por instantes, fazendo renascer na população a esperança. Um direito de todo e qualquer cidadão – ressalta Amir Haddad.

Calendário:

Dia 04 de Novembro, das 15h às 19h, na Cinelândia:

Feira de Arte Pública

Cortejo de artistas sai do Largo da Lapa e caminha pela cidade levando suas cores, bandeiras e instrumentos em direção ao palco de encontros da cidade, a Cinelândia. Lá chegando, grupos e artistas se espalham e desenvolvem a arte que levam para as praças, cada um no seu minifúndio. Artistas: Cia Horizontal de Arte Pública; Wagner José e seu Bando; Palhaços pela Vida; Os Jeka São Five; Aquimy Romero, a Menina do Arroz; Boneca Lilica; Antônio Rosário; Jenita de Peças; Teatro em Cordel; Jeff Bonfim; Marcelo Serralva, o Homem Fanfarra; Flavio da Flauta.

Dia 05 de Novembro, das 15h às 19h, na Praça Marechal Âncora:

Grande Cia Brasileira de Mystérios e Novidades

Ao lado do tradicional restaurante Albamar, apresentação do espetáculo Uirapuru, por um dos grupos de Teatro de Rua mais importantes do país. O Espetáculo: Influenciado pelas operetas populares amazônicas, o espetáculo Uirapuru está fundamentado na pesquisa das manifestações populares encontradas especialmente no norte do Brasil, bem como na musicalidade indígena, africana e europeia, transporta para a realidade urbana, vincula erudito e popular. Inspirado no poema sinfônico “Uirapuru”, de Villas-Lobos, e na opereta popular da compositora paraense Dona Noêmia, “Pássaro Uirapuru”, contamos a lenda do pássaro cantor com personagens na perna de pau, suas danças dramáticas e seus cantos mágicos.

Dia 06 de Novembro, das 15h às 19h:

Grande Cortejo Público

Da Praça Muhammad Ali ao Cais do Valongo, cortejo dos artistas públicos e suas cores, com grande apresentação de artistas e grupos de rua da região na Praça em frente ao histórico sítio arqueológico. Apresentações da Grande Cia Brasileira de Mystérios e Novidades, Bloco Lumê Ayo, Efeito Urbano e a Banda Bala N’Gulha.

Dia 07 de Novembro, a partir das 18h, no Largo da Lapa:

Fórum de Arte Pública

O Fórum, que já acontece há quatro anos, é um espaço de encontro, troca de vivência e debates sobre políticas públicas para as artes públicas na Casa do Tá Na Rua, na Lapa. No Festival, em edição inédita, o Fórum se desloca para o espaço aberto, com convidados que ajudaram a desenvolver o projeto Arte Pública e parceiros que passaram pelas edições anteriores do Festival.

Dia 11 de Novembro, das 15h às 19h, na Cinelândia:

Feira de Arte Pública

Novo cortejo e outros artistas desenvolvendo sua arte no espaço público da cidade. Artistas: Banda Kosmo Coletivo Urbano; Harmonia Enloquece: Ana Paula Casares, Estátua Viva; Andrea Nohara; Eliane Gabriela e Eduardo Rizzo; Vó Passarinho; Sergio Biff e o Teatro de Bonecos Cinemagéia; Cesar Guedes e o Circo do Palhaço Gracinha; Tropa de Palhaços de 5ª, Wagner Perrayon e seu Violino; Realejo de Pascal Maurice; Estrela do Oriente, grupo de dança cigana; Isael do Cordel.

Dia 12 de Novembro, das 15h às 19h, na Praça XV:

Apresentação Grupo Tá Na Rua

Grupo fundado pelo renomado e premiado diretor Amir Haddad, com 36 anos em plena atividade e referência para todos os grupos de teatro de rua brasileiros, o Tá Na Rua encena seu mais novo trabalho: “Shakespeare e os Orixás – A Tempestade”. O Espetáculo: “Shakespeare e os Orixás – A tempestade”, de Erida Castello Branco, adaptação da peça teatral “A tempestade”, leva para o público, o universo mágico e horizontal do dramaturgo inglês William Shakespeare. A obra conta a história de Próspero, nobre erudito, exilado em uma ilha por um golpe político. Ali, cercado por entidades poderosas e controversas, através de estudos e conhecimentos exotéricos, desenvolve enormes poderes mágicos. Seguindo a história original, os seres mágicos do universo mitológico são substituídos por entidades igualmente poderosas e significativas da religião afro-brasileira. A ilha onde vive o protagonista se transforma no grande continente afro-brasileiro que é o Brasil, mágico, miscigenado e profundo. Disputas políticas decompõem-se e recompõem-se, enquanto o universo mágico dos orixás e exus, criações do homem e da natureza, servem de sustentação para Próspero recuperar suas forças e as esperanças de uma volta vitoriosa à sua terra. Em paralelo, o amor floresce entre Miranda, a filha do nobre mago, e Fernando, o filho de seu inimigo político, ambos náufragos por intervenção de Iemanjá.

Dia 13 de Novembro, das 15h às 19h, na Praça Mauá:

Apresentação conjunta da Grande Cia Brasileira de Mystérios e Novidades e do Grupo Tá Na Rua

Novo encontro dos dois grupos mais influentes e pioneiros de teatro de Rua do país. Somados seus tempos de atividade, temos 72 anos de apresentações e entrega nos espaços públicos. Quase um centenário! Linguagens diferentes, mas com o mesmo amor, respeito e carinho pela Cidade Maravilhosa.

Dia 14 de Novembro, a partir das 18h, no Largo da Lapa:

Fórum de Arte Pública

Retrospectiva do 3º Festival Carioca de Arte Pública: encerramento artístico do Festival, com projeção de vídeos falando da história e do movimento de Arte Pública, uma proposta para a cidade, para quem vive nela e não para quem dela vive.

3º Festival Carioca de Arte Pública
Coordenação: Amir Haddad
Patrocínio: Prefeitura do Rio – Secretaria Municipal de Cultura
Realização: Instituto Tá Na Rua e Cia Brasileira de Mystérios e Novidades.
Assessoria de comunicação: MercadoCom

 

Deixe uma resposta