Brasil firma parceria com Portugal para cooperação em centro de investigação

Brasil e Portugal farão, em abril de 2017, nos Açores, uma cúpula luso-brasileira para firmar cooperação bilateral na criação do Centro de Pesquisa Internacional dos Açores (Air Center, na sigla em inglês).

O Air Center será um grande centro internacional de investigação, instalado no arquipélago português. De acordo com o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Manuel Heitor, a ideia é desenvolver o projeto em estreita colaboração com o Brasil e suas ilhas de Fernando de Noronha, São Pedro e São Paulo, e “criar uma nova plataforma entre todas as nações atlânticas, seja da África, da América ou da Europa.”

O Brasil participará de uma rede de estações de tratamento de dados de satélite que vai incluir os Açores e Cabo Verde, cobrindo toda a região do Atlântico e o oeste do Mediterrâneo.

“Será criada uma nova rede de experimentação e de investigação por satélite que irá contar com a capacidade que o Brasil tem no setor espacial”, afirmou o ministro da Ciência português.

Durante um encontro, por ocasião da Conferência de Chefes de Estado da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), em Brasília, na semana passada, Manuel Heitor e o seu homólogo brasileiro, Gilberto Kassab, se comprometeram a convidar outros países do Atlântico a participar do encontro nos Açores.

Heitor propôs ainda a Kassab a realização da 1º Semana de Ciência Brasil-Portugal, com lançamento planejado para junho, no Brasil. “Seria um evento de promoção da cooperação acadêmica e divulgação científica”, afirmou.

Entre os objetivos do centro de investigação espacial está a cooperação nas áreas do ensino e dos negócios na região do Atlântico. A ideia é envolver no projeto, além de Portugal e Brasil, países como o Canadá, EUA, África do Sul, Angola, Marrocos e estados europeus.

De localização geográfica estratégica, o centro de pesquisa terá infraestrutura para abrigar uma base espacial, instalações para medição de radiação atmosférica e um departamento de oceanografia e pesca.

De acordo com a Aicep (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), o projeto quer atrair investimento estrangeiro para as áreas espacial, de energia, oceanos e clima.

Agência Brasil

Deixe uma resposta