Chuva provoca alagamentos e dificulta o trânsito em São Paulo

Os moradores de cidade de São Paulo enfrentaram dificuldades, no início de manhã, para se deslocar para o trabalho e outros compromissos, em por causa da chuva forte que caiu entre o final da noite de ontem e a madrugada de hoje (7), provocando pelo menos 22 pontos de alagamento e trânsito travado.

Com o transbordamento do rio Tietê e com pontos de estrangulamento na marginal Pinheiros, a chegada à capital por meio das rodovias também foi prejudicada por extensas filas de congestionamento.

Às 8h, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou 133 quilômetros (Km) de lentidão na região do centro expandido – área que fica entre as marginais e a região central. O volume não superou o recorde para o pico da manhã, que é de 201 km, mas ficou acima da média para esse horário, que oscila entre 42 Km e 74 Km.

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), órgão da prefeitura, encerrou o estado de alerta para alagamentos às 8h18, condição que começou às 23h05 de ontem.

A chuva caiu durante toda a quinta-feira, com precipitações concentradas à tarde em algumas áreas da cidade. Com novas pancadas ao longo da madrugada, o rio Tietê transbordou, e também vários córregos nas regiões leste (Sapopemba, Itaquera Vila Prudente, Aricanduva/Formosa), norte (Casa Verde, Pirituba/Jaraguá, Perus) e sul (Ipiranga).

De um total de 22 pontos alagados, 13 ficaram intransitáveis. Às 10h18, ainda havia um ponto intransitável na rua Jaraguá, região central.

Recorde de Chuva

Mesmo sem considerar o volume de chuva ocorrido nas primeiras sete horas de hoje (7), que foram as mais expressivas,o CGE já tinha mensurado recorde de precipitações para um mês de abril com a média de 53,4 mm em 24 horas até à meia noite de ontem (6),levando em consideração os registros feitos em suas 31 estações de metereologia.

De acordo com o CGE, esse volume é o maior dos últimos 23 anos para um dia de abril.

A previsão para hoje (7) é de que prevaleça tempo nublado com a temperatura máxima de 23 graus, de acordo com o Instituto Nacional de Metereologia (Inmet).

Aeroportos

Apesar dos transtornos, nos aeroportos de Congonhas, na zona sul, e Cumbica, em Guarulhos, os vôos operam com o auxílio de instrumentos e não há impactos significativos tanto nos embarques quanto no desembarque de passageiros, segundo as assessorias dos terminais.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*