Como escolher o vestido de noiva perfeito?

Deise Oliveira por Thiago Okimoto
Deise Oliveira por Thiago Okimoto

Papel e caneta na mão porque as dicas vão do tom mais certeiro até a estrutura e o shape ideal para cada tipo de corpo! 

A estrutura
A estrutura correta faz toda diferença em um vestido, mesmo quando o modelo é mais simples e fluido. Ela dá segurança, deixa o visual das curvas mais harmônicas e o shape “sequinho” (que, vamos combinar, é o que todas as noivas querem). Essa estrutura é criada valendo-se de alguns artifícios. Quando o modelo não é tão decotado, utiliza-se um corselet, que acompanha toda a curvatura até o quadril, deixando busto, cintura e barriga no lugar! Quando o modelo não permite esse tipo de estrutura, há outros truques, como as barbatanas presas no próprio forro para dar sustentação. 

Qual tom escolher?
O branco sempre funciona para vestido de noiva, porque é uma cor clássica e deixa a pessoa super iluminada. Mas fugir do óbvio com o off white e o nude também é uma ótima opção! Medo do seu visual ficar datado? Fique tranquila, pois os tons vieram para ficar!

A única restrição é que quando a noiva é muito clarinha, um vestido off white pode deixá-la muito pálida. Também é preciso avaliar bem o tom de pele caso se escolha o nude. No geral, um ponto importante que todas têm que se atentar é que se a cor escolhida tiver amarelo dentro da sua composição, isso pode empalidecer, o que vale tanto para o off white, como para o nude ou cor de pele. 

Modelagem em A
A modelagem em A, que os americanos chamam de “A line”, funciona para todos os estilos de corpo. A noiva pode ser bem magrinha ou mais gordinha, se ela coloca um vestido bem estruturado com uma saia que abre da cintura ou do quadril, ele sempre vai dar uma sensação de um corpo mais alongado e afinado.

Renda, um clássico
A tradicional renda sempre funciona, mesmo quando a noiva não é muito fã (nesse caso vale optar por um detalhe no véu ou no cinto para enriquecer o visual!). Ainda que ela não queira um visual clássico, existem milhões de opções, desde as delicadas de chantily até uma mais grossa tipo guipure ou arabescada e mais encorpada com acabamento em soutache, que está super em alta. Há também os tules bordados, que possibilitam uma diversidade infinita de estampas, desde geométricas até 3D!

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here