Crise financeira ameaça funcionamento da Uerj

Por meio de uma carta enviada ao governador Luiz Fernando Pezão, no dia 6 janeiro, a reitoria em exercício da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), Maria Georgina, declarou que a unidade de ensino poderá fechar as portas caso os pagamentos dos servidores ativos e inativos não sejam regularizados e a não liberação de orçamento. 

Ainda de acordo com o comunicado, publicado no site oficial da entidade, a crise também pode afetar o funcionamento de unidades de saúde como Hospital Universitário Pedro Ernesto e a Policlínica Américo Piquet Carneiro.

Procurada pela reportagem do Portal Manchete Online, a Secretaria de Fazenda informou que “apenas os repasses relativos a custeio da Uerj somaram R$ 186,1 milhões, em 2016. No ano, os repasses relativos a pagamento de pessoal da Uerj foram de R$ 542,3 milhões. A dotação orçamentária da Universidade (incluindo pessoal e custeio) foi de R$ 1,1 bilhão em 2016, ou seja, mesmo em meio à gravíssima situação financeira do Estado, 65% do orçamento total da Uerj foram efetivamente repassados”.

Ainda segundo a pasta, “como o salário de dezembro e o 13º salário ainda não foram pagos para a maioria do funcionalismo público do Estado do Rio de Janeiro, encontram-se pendentes de pagamento R$ 212,4 milhões em pessoal, que representam 18,9% do orçamento total da Uerj. Em custeio e investimento, ficaram pendentes de pagamento R$ 83,9 milhões, que representam apenas 7,5% do orçamento total da universidade”.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here