Criticado, Marcelo Boeck explica o motivo que o fez deixar a Chapecoense

O goleiro Marcelo Boeck resolveu se pronunciar oficialmente após sofrer duras críticas por conta de ter deixado a Chapecoense para atuar no Fortaleza, que vai disputar a terceira divisão do futebol brasileiro. Para muitos, Boeck foi insensível à comoção que toma conta da cidade e também do clube por conta da tragédia ocorrida no último dia 29 de novembro. Na ocasião, o avião que levava a delegação do clube para Medellín (COL), sofreu um acidente e 71 pessoas faleceram, inclusive 19 jogadores, então companheiros de equipe de Boeck.

O goleiro, preterido por Caio Júnior, acabou não viajando para Medellín. No processo de reconstrução do clube, Boeck esperava ficar no elenco, como afirmou em seu comunicado. Mas, de acordo com ele, o clube não o procurou para tratar da renovação.

Confira na íntegra o comunicado de Marcelo Boeck:

Caros amigos e torcedores, em especial os da Associação Chapecoense de Futebol, a nossa Chape. Todos sabem do meu carinho por essa instituição que tão bem me acolheu e, por isso, venho a público esclarecer que de maneira alguma, abandonaria o clube após a tragédia de Medellin.

Recebi críticas após a notícia que eu iria atuar pelo Fortaleza Esporte Clube ter sido divulgada como se eu fosse um desertor, como se eu não tivesse coração.

Fiquei triste com isso. Assim como todos os companheiros que não estavam no fatídico voo, deixei claro minha intenção de ajudar na reconstrução da Chape. É um momento difícil e sabia que eu também seria importante para estar ali e reerguer o clube. Mais do que isso, não poderia e nem queria deixar a Chapecoense após esse acidente.

Eu tinha total intenção de renovar contrato, mas não houve reciprocidade por parte da diretoria, que decidiu por não iniciar uma negociação conosco, situação que eu respeito muito. Felizmente, recebi proposta para atuar no Fortaleza, o que me deixou muito feliz e motivado, pois assim como a Chape, trata-se de um clube de excelente estrutura e de uma grande e fanática torcida.

Não tenho a intenção de polemizar, longe disso. Apenas quero esclarecer algo que jamais faria num momento de tanta dor e tristeza. A Chape estará sempre comigo. Espero, um dia, voltar, e retribuir todo o carinho que recebi em Chapecó.

Estarei sempre torcendo por todos do clube.

Marcelo Boeck.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here