Defesa de Cabral apresenta alegações finais e pede suspeição de Bretas

A defesa do ex-governador Sergio Cabral voltou a pedir a suspeição e o afastamento do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, que julga a maior parte dos casos referentes aos desdobramentos da Operação Lava Jato no Rio.

O pedido foi feito pelo advogado Rodrigo Roca, que defende Cabral. Segundo ele, Bretas concedeu entrevista a jornal antecipando juízo sobre o ex-governador.

“Na verdade, isto não é a primeira vez que a gente faz. Nós já pedimos o afastamento dele algumas vezes, e sempre pelo mesmo motivo. Por uma entrevista ao jornal Valor Econômico, em 14 de julho, quando ele disse que tinha dúvidas se condenaria Cabral por corrupção ou por lavagem de ativos, em relação às jóias”, explicou Roca, por telefone, nesta terça-feira (22).

O advogado considerou que Bretas não tem imparcialidade para julgar qualquer causa que envolva o ex-governador. O pedido faz parte das alegações finais, no processo referente à Operação Calicute, um desdobramento da Lava Jato.

Em pedido anterior, dentro do processo, o próprio Bretas afastou a suspeição e informou que na reportagem do jornal ele deixou claro que ainda não tinha formado o seu convencimento sobre a matéria.

Nas alegações finais, a defesa de Cabral pede sua absolvição e que, caso venha a ser condenado, cumpra a pena em regime inicial aberto ou semi-aberto.

Agêncua Brasil

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*