Diretor de hospital fala sobre situação de três sobreviventes da queda do avião da Chapecoense

Guilhermo Molina, diretor do hospital San Juan de Díos, falou ao SporTV sobre o estado de saúde de três sobreviventes do acidente com o avião que levava jogadores, comissão técnica e diretoria da Chapecoense para Medellín, aonde o clube disputaria, diante do Atlético Nacional, a decisão da Copa Sul-Americana. Além de pessoas ligadas ao clube, também estavam no avião profissionais da imprensa e comissários de bordo.

Sobre o lateral Alan Ruschel, primeiro que chegou até o hospital após ser resgatado no local do acidente, Molina destacou os traumas que o jogador sofreu nos membros inferiores.

“Alan chegou entre 2h30 e 3h com compressão de tíbia do membro inferior, com compressão abdominal e com fratura na vértebra dorsal 10. E foi levado para cirurgia para todas as fraturas. Se considerou pertinente a ressonância e por isso, depois da cirurgia, em condições estáveis, ele foi para a clínica de Rio Negro para exames para garantir os exames e ver sobre sequelas nos membros superior”, comentou Molina.

Outro jogador da Chapecoense que chegou ao hospital em estado crítico foi o zagueiro Neto. “Neto chegou 6h45 desta manhã em estado muito severo com trauma no cérebro, fratura exposta de membros superiores, foi entubado, foi feito exames e enste momento está em cirurgia para que se garanta sua vida”, explicou o diretor, também explicando a situação do jornalista Rafael Henzel.

“Entre 2h e 2h30 da manhã chegaram vivos Rafael Henzel e um jogador de futebol de equipe, Alan Ruschel, chegaram em estado muito mal. Henzel com problema respiratório severo, lesões no corpo, no pé. O paciente se estabilizou e neste momento se encontra na unidade de cuidados intensivos da clínica”, finalizou.

Deixe uma resposta