Estádio que vai abrigar final da Copa de 2022 terá participação chinesa

Uma empresa da China, junto com uma companhia do Catar, serão as responsáveis pelas obras no estádio que vai sediar a final da Copa do Mundo de 2022, na cidade catariana de Doha. O anúncio foi feito em comunicado pelo Comitê Supremo para a Entrega e o Legado, que organiza a competição.

“A assinatura deste contrato representa um passo significativo. O Estádio de Lusail será a peça central do torneio em 2022 e depois se tornará parte integral da cidade de Lusail na fase de legado”, disse na nota o secretário-geral da organização, Hassan al Zawadi.

O estádio, que também vai receber a cerimônia de abertura, está sendo desenhado nos estúdios de arquitetura da Foster + Partners, do arquiteto britânico Norman Foster. O projeto final será revelado em 2017. A expectativa é de capacidade para 80 mil espectadores.

Com o acordo, a China segue aumentando a sua presença, cada vez mais frequente, no mundo do futebol. Além de ajudar na construção do estádio, as empresas do país já compraram grandes clubes da Europa, como o Milan.

Deixe uma resposta