Estoque de vacina da febre amarela no Rio termina esta semana, diz secretário

O estoque de 250 mil doses da vacina contra febre amarela no município do Rio de Janeiro deve durar até quinta (6) ou sexta-feira (7), segundo estimativa do secretário municipal de Saúde, Carlos Eduardo de Mattos. Até lá, o gestor espera receber um novo lote do Ministério da Saúde para não interromper a imunização em 233 Unidades Básicas de Saúde da cidade.

“A demanda é muito grande no território nacional e temos que vacinar de acordo com o número de vacinas que recebemos”, disse. A média diária de imunizações na capital fluminense é de 40 mil pessoas. No sábado (1º), o município fez um Dia D de vacinação e 25 mil pessoas receberam a dose.

Segundo Mattos, o programa de vacinação contra a febre amarela no Rio só terminará no fim do ano ou até que toda a população esteja imunizada. Até agora, a cidade não registrou nenhum caso da doença. “A vacinação que é feita no Rio de Janeiro é preventiva, pelo fato, de não haver um caso na cidade ainda notificado.”

De acordo com o secretário, não há, até o momento, recomendação para fracionar as doses com o objetivo de atender a mais pessoas. “Neste momento não recebemos nenhuma informação sobre a possibilidade de fracionamento, mas estamos atentos. Estamos vacinando normalmente de acordo com a disponibilidade de vacinas.”

Desde janeiro, 738.791 mil doses da vacina contra a febre amarela foram distribuídas no município do Rio de Janeiro, que também recebe usuários de outras cidades da região metropolitana da capital.

Macacos

No sábado (1º), um sagui foi encontrado morto na Rua Magalhães Couto, no Méier, zona norte do Rio. O animal foi recolhido pela equipe de zoonoses da Vigilância Sanitária Municipal e encaminhado para análise no Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, para verificar se estava infectado com a febre amarela.

Depois que o exame for concluído, o resultado será encaminhado à Secretaria de Estado de Saúde do Rio. De acordo com o órgão, até agora foram confirmados apenas dois casos de febre amarela em macacos no estado: um em São Sebastião do Alto, na Região Serrana, e o outro em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro contabiliza até agora nove casos de febre amarela em humanos: sete em Casimiro de Abreu, da Baixada Litorânea do Rio, onde houve uma morte; um caso em São Fidélis, no norte fluminense; e um de um morador de São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, que contraiu a doença durante uma viagem a Casimiro de Abreu.

Morte em Silva Jardim

Os dados da secretaria estadual não incluem a morte de um homem de 69 anos, do município de Silva Jardim. De acordo com o órgão, ainda não há confirmação se o aposentado morreu por efeito adverso à vacina ou se realmente estava infectado com a doença.

Após tomar a vacina e apresentar complicações, o homem foi atendido em Silva Jardim e em seguida transferido para um hospital em Niterói. Ele morreu na última quinta-feira (30). Uma amostra de sangue do paciente foi encaminhada para o Laboratório Central Noel Nutels do Rio de Janeiro (Lacen-RJ) para análise.

Em resultado preliminar, ficou comprovado que o aposentado não tinha dengue, zika ou chikungunya, mas apontou diagnóstico positivo para febre amarela. Agora, segundo a secretária de Saúde e Assistência Social de Silva Jardim, Tereza Fernandes, um exame feito pela Fundação Oswaldo Cruz poderá identificar se o vírus era vacinal ou silvestre. O resultado deve ser ivulgado no fim da próxima semana.

Tereza Fernandes disse à Agência Brasil que o aposentado recebeu autorização médica para tomar a vacina. Segundo ela, todos os pacientes com mais de 60 anos, lúcidos e sem restrição apontada em prontuário do Programa de Estratégia de Saúde da Família estão sendo vacinados no município.

Duque de Caxias

Em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, uma moradora do bairro de Campos Elíseos foi atendida ontem (2) com sintomas comuns a várias enfermidades, inclusive febre amarela. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a mulher foi internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes para avaliação e acompanhamento. “A paciente foi submetida a uma tomografia computadorizada e exame de sangue. O material coletado foi encaminhado para o Laboratório Central Noel Nutels e levará sete dias para a conclusão da análise.”

Embora ainda não haja confirmação para febre amarela, a prefeitura de Duque de Caxias informou que intensificará preventivamente a vacinação na região e as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Informações

Para esclarecer a população sobre a febre amarela, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro lançou nesta segunda-feira um canal de informação na internet, no endereço febreamarelarj.com.br. No site é possível tirar dúvidas, avaliar dados e ter explicações técnicas sobre a doença, como vacinação e contraindicações. Também será publicado no canal o boletim epidemiológico divulgado diariamente à imprensa. O site pode se acessado em computadores e smartphones.

De acordo com a secretaria, dos 92 municípios do estado, 44 já receberam vacinas em quantidade suficiente para vacinar 100% de seu público-alvo: Aperibé, Areal, Bom Jardim, Bom Jesus do Itabapoana, Cachoeiras do Macacu, Cambuci, Cantagalo, Carapebus, Cardoso Moreira, Carmo, Casimiro de Abreu, Comendador Levy Gasparian, Conceição de Macabu, Cordeiro, Duas Barras, Engenheiro Paulo de Frontin, Guapimirim, Italva, Itaocara, Itatiaia, Laje do Muriaé, Macuco, Miguel Pereira, Miracema, Natividade, Paty do Alferes, Porciúncula, Quatis, Quissamã, Rio Bonito, Rio das Flores, Rio das Ostras, Santa Maria Madalena, Santo Antônio de Pádua, São Fidélis, São João da Barra, São José de Ubá, São José do Vale do Rio Preto, São Sebastião do Alto, Sapucaia, Silva Jardim, Sumidouro, Trajano de Moraes e Varre-Sai.

Agência Brasil

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*