Ex-secretário de Saúde do Rio preso hoje é afastado de rede de hospitais

O ex-secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro Sérgio Côrtes foi desligado nesta terça-feira (11) da Rede Copa D’or, de hospitais privados, após ser preso pela Polícia Federal, acusado de fraudes em licitações para fornecimento de próteses para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e para a Secretaria Estadual de Saúde.  

A operação de hoje, chamada Fatura Exposta, é um desdobramento das operações Calicute, que resultou na prisão de Cabral no ano passado, e Eficiência, que resultou na prisão do empresário Eike Batista neste ano. 

A assessoria da Rede Copa D’or informou que “diante dos fatos ocorridos, na data de hoje, foi decidido o desligamento imediato do Dr. Sérgio Côrtes”. Desde junho de 2014, Côrtes integrava a diretoria da empresa, na área médico-assistencial. Os fatos e eventos citados em investigação dizem respeito ao período anterior a sua contratação.

Segundo a Polícia Federal, Côrtes é acusado de receber 2% do valor dos contratos celebrados entre a secretaria estadual e a empresa de materiais médicos Oscar Iskin. De acordo com o Ministério Público Federal, Côrtes e o sócio-controlador da empresa, Miguel Iskin, são acusados de dividir 40% do valor dos contratos e depositá-los em conta aberta no Bank of America, nos Estados Unidos.

O esquema também teria funcionado no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), do qual Côrtes foi diretor de 2002 a 2006. O Into informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que está à disposição para esclarecimentos que forem solicitados pela investigação e que tomará as medidas cabíveis, quando tiver acesso ao processo. Ainsa segundo o Into, todos os contratos do hospital são precedidos de licitação, conforme a legislação pertinente. 

A defesa do ex-governador Sérgio Cabral informou que não irá se pronunciar sobre o caso.

Agência Brasil

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*