Exposição de Reinaldo Eckenberger – Uma Poética do Excesso

Foto divulgação

Depois de passar pela CAIXA Cultural Salvador, a mostra Reinaldo Eckenberger – Uma Poética do Excesso chega ao Rio de Janeiro no início de 2017 para celebrar os 50 anos da trajetória no Brasil do multiartista argentino radicado na Bahia. Em cartaz na CAIXA Cultural Rio de Janeiro de 4 de janeiro a 5 de março de 2017, a exposição traz um panorama das diversas fases e linguagens de Eckenberger, com curadoria da jornalista e mestre em artes visuais Luciana Accioly e do poeta e editor Claudius Portugal. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

Pensada como uma grande instalação que esbanja criatividade, a mostra traz mais de 500 itens, como assemblages, bonecos de panos, estofados e objetos híbridos, entre outras obras de arte, ligadas pelo conceito do excesso. Tanto na poética quanto na carreira de Reinaldo Eckenberger, o excesso é um princípio definitivo que opera em todas as fases, linguagens e suportes utilizados pelo artista. Assim, a montagem da exposição aposta no acúmulo exagerado de obras, de forma a traduzir as idéias de desmesura e desmando.

As diferentes fases de sua obra não são organizadamente dispostas. Convivendo no mesmo espaço, linguagens, técnicas, suportes e materiais distintos estão integrados. Os objetos híbridos são acumulados em suportes diversos, como uma mesa de jantar e um tabuleiro de xadrez com lajotas brancas e pretas.

“Cenas de sexo oral, carícias íntimas, perversão, além do fetiche por elementos como o pênis, a língua em riste, o nariz em forma de falo e os olhos expressivos são recorrentes nos desenhos, pinturas, gravuras, cerâmicas, objetos e trabalhos em tecido de Eckenberger”, diz Luciana Accioly, que obteve mestrado em artes visuais na Universidade Federal da Bahia (UFBA) com a dissertação A Poética de Trapos de Reinaldo Eckenberger.

No primeiro dia de visitação (4 de janeiro), a mostra promove um bate-papo com o artista e a curadora Luciana Accioly, às 15h, no Cinema 2 do espaço. Em seguida, às 16h, Reinaldo e a curadora realizam visita guiada à exposição.

Eckenberger:
Atraído pelo barroco, o artista argentino, que mais tarde se naturalizaria brasileiro, desembarcou em Salvador em 1965, onde desenvolveu uma trajetória profissional de sucesso. Sua primeira exposição na capital baiana – Luxo e Lixo, Lixo e Luxo -, em 1966, foi considerada a primeira mostra de arte pop realizada na Bahia e rendeu ao artista premiação na I Bienal da Bahia, naquele mesmo ano.

A partir daí, sua poética excessiva, tributária das vanguardas dadaístas, expressionistas e surrealistas, ganhou o mundo, já tendo sido exposta em diversas galerias e museus europeus. Com 78 anos, Eckenberger realizou diversas exposições na Espanha, na Alemanha e na França, durante a década de 1970, ecompõe o acervo permanentemente do Museu de Arte Bruta, em Dicy-França. Participou da Bienal Nacional de São Paulo em 1976 e da Bienal Internacional de São Paulo em 1977, além da 3ª Bienal da Bahia, em 2014.

Serviço:

Exposição Reinaldo Eckenberger – Uma poética do excesso

Entrada Franca

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Galeria 1
Endereço: Av. Alm. Barroso, 25 – Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Data: 4 de janeiro a 5 de março de 2017
Horários: de terça-feira a domingo, das 10h às 21h
Abertura: 3 de janeiro de 2017 (terça-feira), às 19h
Classificação Indicativa: 16 anos
Acesso para pessoas com deficiência

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*