Falta de pagamento de salários afeta programação do Theatro Municipal do Rio

Theatro Municipal do Rio de Janeiro é administrado pelo governo do estado: Divulgação/ Riotur

A grave crise financeira do governo fluminense afetou mais uma vez a programação do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, que, apesar do nome, é vinculado à administração estadual.

Em comunicado divulgado na noite de ontem (14) a Fundação Theatro Municipal informou que está suspensa temporariamente a venda de ingressos para a ópera Jenufa, que tem estreia prevista para a próxima sexta-feira (18), às 20h. Isto porque os servidores do teatro decidiram em assembleia paralisar as atividades a partir de amanhã (16), caso o governo do Rio não deposite integralmente os salários referentes ao mês de outubro.

A Fundação Theatro Municipal informou ainda que divulgará novo comunicado nesta quarta-feira, informando ao público sobre a continuidade ou suspensão de sua programação. Em junho, o atraso no pagamento dos salários dos funcionários da casa já havia causado o atraso, por um dia, na estreia de outra ópera, Orfeu e Eurídice, do compositor alemão Christoph Gluck.

Considerada uma das óperas mais emblemáticas do século 20, Jenufa, do compositor tcheco Leos Janácek, será apresentada pela primeira vez no Brasil em sua versão original, na temporada marcada para começar na próxima sexta e com mais três sessões até o dia 24. Coprodução do Theatro Municipal com a companhia Ópera Livre, Jenufa será executada pelo coro e pela orquestra da casa de espetáculos, tendo solistas convidados para os papéis principais.

Agência Brasil

Deixe uma resposta