Grupo rubro-negro passa por série de avaliações no início da pré-temporada

Exames de sangue, de urina e de percentual de gordura corporal foram feitos na manhã desta quinta-feira

Foto: Gilvan de Souza
Foto: Gilvan de Souza
pré-temporada 2017 começou no recém-inaugurado módulo profissional do Centro de Treinamento George Helal, em Vargem Grande. Aliadas aos testes comandados pelos preparadores físicos, tanto no Centro de Excelência em Performance quanto no gramado, uma série de exames foi realizada para avaliar o estado clínico e fisiológico do elenco neste retorno às atividades.
 
Foram realizados exames de sangue, de urina e de percentual de gordura de cada atleta. A finalidade é adaptar, de maneira individual, tendo em vista as especificidades clínicas e fisiológicas dos integrantes do elenco. Os cuidados vão desde a alimentação até o tipo de exercício que devem ser feitos durante as primeiras atividades da temporada.
 
O Doutor Serafim Borges, integrante do Departamento Médico rubro-negro, comentou sobre a importância dessas análises neste período de retorno do elenco após o período de férias. “Os exames laboratoriais fazem parte das avaliações clínico-cardiológicas dos atletas para a pré-participação plena dos mesmos neste ano de 2017. São exames de rotina, realizados anualmente, que complementam as avaliações cardiológicas e ortopédicas, dentre outras que ocorrem durante toda a temporada”, explicou.
 
Mesmo com uma rotina de trabalho definida e seguida regularmente durante o período de recesso, a temporada exige um tipo diferenciado de preparação. O fisiologista Felipe Olive comentou sobre a adaptação que é feita após a análise dos percentuais de gordura dos jogadores. “Eles estão se reapresentando agora após o período de um mês em casa. Alguns fizeram um pouco mais de atividades, outros um pouco menos. Tem as festas de final de ano, cuja alimentação é diferente. Eles saem um pouco da rotina e é até normal que isso aconteça”, explicou o fisiologista.
 
Em seguida, Felipe falou especificamente sobre o processo de medição desses percentuais.
 
“Essa medida de bioimpendância, que fazemos com o aparelho InBody, seria o estágio inicial. A partir desse momento, vemos quem está acima, e então ajustamos a alimentação junto ao nutricionista e os trabalhos em campo. Em seguida, fazemos o acompanhamento periódico o ano inteiro, onde os atletas são avaliados e controlados nesse sentido”, completou.
 
O fisiologista Alex Souto Maior, com vasta experiência trabalhando com atletas de MMA, aliou as experiências passadas para desempenhar sua função com excelência também no futebol. Os exames de urina revelam dados específicos, cuja importância de análise é fundamental após esse período de trinta dias sem desempenhar atividades nos gramados.
 
Alex explica a função específica desse tipo de avaliação.
 
“A análise de urina foi inserida hoje no processo para avaliar alguns componentes que estão associados tanto à inflamação, quanto à desidratação dos atletas. Além disso, conseguimos observar se alguns deles passam por processos bacterianos através dessa análise. Isso nos dá um suporte fisiológico maior para conduzirmos os treinamentos”, comentou o fisiologista. “Esse tipo de análise será realizada após todos os jogos durante o ano. Normalmente, nossas avaliações fisiológicas pós-jogos acontecem 48 horas após o término das partidas. Além da urina, temos o controle de CK, que é a creatinoquinase, e o controle termográfico. Esses controles vêm para somar e, consequentemente, para termos os atletas sempre à disposição do professor Zé Ricardo. Esses controles são muito importantes justamente para que possamos manter os jogadores em alto nível”, completou.
 
Por fim, Alex enalteceu o trabalho realizado pelos profissionais do CEP FLA, que renderam números expressivos com relação à prevenção de lesões no elenco durante a temporada passada. “O objetivo do Centro de Excelência em Performance é alto desempenho com baixo número de lesões, e dentro desses controles bioquímicos tivemos, no ano passado, a menor taxa de lesões entre os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. Nessa temporada, pretendemos manter esse ‘título'”, encerrou o integrante da comissão técnica rubro-negra.

A competência dos profissionais que trabalham fora de campo tem seu reflexo dentro do mesmo, elevando o nível de performance do grupo e sendo componente fundamental na luta por conquistas na temporada que está por vir.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here