Irritado, senador pede saída de professor durante audiência sobre PEC dos Gastos

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O senador José Medeiros (PSD-MT) exaltou-se hoje (11) e pediu a retirada de plenário de um professor que acompanhava audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado para debater a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241. Aprovada em primeiro turno pela Câmara ontem (10), a PEC limita os gastos públicos à inflação do ano anterior.

A confusão começou quando Medeiros se irritou durante a fala da economista Laura Carvalho, professora da Universidade de São Paulo (USP). Laura citou o jantar oferecido pelo presidente Michel Temer a parlamentares no domingo, véspera da votação da proposta na Câmara dos Deputados.

Medeiros entendeu que a economista estava criticando a atitude de Temer e rebateu afirmando que a ex-presidenta Dilma Rousseff também dava jantares. Posteriormente, Laura negou que tenha citado o episódio com intenção de crítica ou como sendo relevante para as discussões sobre a PEC 241.

O fato de o senador interromper a palestrante, no entanto, provocou reação das pessoas que acompanhavam o debate e, na sequência, Medeiros pediu que o respeitassem por ser senador da República. Nesse momento, Francisco Santiago, professor da Universidade Federal do Amapá, levantou-se e discutiu com o parlamentar, afirmando que o cargo “não lhe dava o direito de gritar”.

“O debate estava ocorrendo normalmente, e o senador interrompeu a palestrante de forma muito pouco educada. As pessoas pediram a ele que deixasse a palestrante falar. Inclusive a senadora Gleisi Hoffmann [PT-PR, presidente da CAE] interveio dizendo que depois a fala seria aberta a ele [senador]. Nesse momento, ele começou a gritar com as pessoas do plenário, e eu me manifestei”, relatou Francisco, que também é presidente do Sindicato dos Docentes da Universidade Federal do Amapá.

O senador pediu à segurança do Senado para retirar Francisco do plenário onde se realizava a audiência. De início, o professor pediu para ficar e se sentou. No entanto, após um segundo pedido do parlamentar, Francisco saiu. “Ele pediu para a segurança retirar, e eu falei que não precisava, saí voluntariamente”, afirmou.

Procurado, Medeiros disse que houve tentativa de cercear seu direito à palavra. “O pessoal da assistência vem querer cassar a minha palavra. Eu fiz o contraponto, porque estamos em um debate técnico de uma medida provisória e a palestrante veio falar de jantar no [Palácio da] Alvorada. Todo presidente faz jantar no Alvorada. A presidenta Dilma fez um monte, inclusive para cooptação de votos contra o impeachment”, declarou.

Mais à frente no debate, uma outra fala de Medeiros foi vaiada pela assistência, majoritariamente contrária à PEC 241, e Gleisi Hoffmann pediu que não houvesse esse tipo de manifestação. Segundo a senadora, o objetivo da audiência pública foi iniciar uma discussão ampla sobre a proposta no Senado, já que, em sua opinião, não houve debate suficiente na Câmara dos Deputados.

Agência Brasil

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here