Justiça de Roma indicia 20 pessoas por fraudes em contratos

A Justiça de Roma indiciou 20 pessoas por suspeita de associação criminosa, licitações fraudulentas, falsidade e fraude à cidade de Roma por causa de obras de restauração na sede da Prefeitura local.

Os crimes teriam ocorrido durante a reforma na sala Giulio Cesare, que fica no Campidoglio, e entre os indiciados, estão Fabrizio Amore e Maurizio Anastasi, ex-chefe da Superintendência local. A investigação é um dos desdobramentos do inquérito “Mafia Capitale” (“Máfia Capital”) que investiga um grande esquema de corrupção e fraude no governo da capital italiana. A audiência foi marcada para o dia 2 de março de 2017 na IV Seção Penal da “cidade eterna”.

Amore responde ao seu segundo processo no inquérito, sendo que ele havia sido preso em junho de 2015 sob a acusação de ter fraudado uma licitação. O empresário havia dito que era o responsável pela cooperativa “Progetto Recupero”, que acolheria 580 pessoas, que fechou um “acordo” para vencer a licitação contra os supostos líderes do esquema Salvatore Buzzi e Massimo Carminati.

ANSA

Deixe uma resposta