Justiça nega habeas corpus a um dos acusados de matar turista no Rio

Matias Carena (Foto: Reprodução-Twitter)

O desembargador Luiz Zveiter, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, negou habeas corpus a Pedro Henrique Marciano, conhecido como PH, um dos acusados de participar da morte do turista argentino assassinado na madrugada do dia 28 de março, após briga na saída de um bar em Ipanema, na zona sul do Rio. Marciano é um dos quatro amigos que tiveram  prisão preventiva decretada pela Justiça.

Matias Sebastian Carena, de 28 anos, foi morto do lado de fora do bar. Segundo testemunhas ouvidas pela polícia, ele teria levado um soco e caiu, desacordado, mas continuou sendo agredido. A Delegacia de Homicídios da capital analisou imagens de câmeras de segurança da área para identificar os agressores.

“O Matias [turista argentino] já estava caído e ainda assim eles continuavam desferindo golpes de muletas e chutes. A necrópsia, porém, constatou que a causa da morte foi a queda que ele teve quando foi atingido por um soco no rosto dado por Toddy Cantuária. Ele [o turista] apagou e caiu de cara no chão. Foi nesse momento que morreu”, disse o delegado Rodrigo Brand, da Divisão de Homicídios, responsável pelas investigações, nos primeiros dias após o crime.

Matías Carena era jogador de um clube da primeira divisão de futsal argentino.

Agência Brasil

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here