Justiça pede prisão de amiga da presidente da Coreia do Sul

A Corte Distrital de Seul emitiu um mandado de prisão formal por “abuso de poder” contra Choi Soon-sil, amiga íntima da presidente Park Geun-hye e chamada de “xamã” pela imprensa local.

Choi, de 60 anos, é protagonista de um escândalo que ameaça até derrubar a primeira chefe de Estado mulher da história do país asiático. Segundo investigações da justiça, ela teria interferido em assuntos oficiais sem possuir um cargo público e se beneficiado dessa influência para fins pessoais.

Há suspeitas de que Choi tinha grande poder sobre as decisões de Park, dando sugestões até sobre a forma de lidar com a Coreia do Norte. A amiga da presidente havia passado dois meses na Alemanha, mas retornou a Seul no último fim de semana e desde então está sob custódia da polícia.

Choi também teria agido em parceria com An Chong-bum, ex-assessor político da mandatária, para pressionar empresas sul-coreanas a doarem grandes somas de dinheiro para sua fundação. An, que renunciara ao cargo no mês passado, foi preso na última quarta-feira (2).

Park Geun-hye, de 64 anos, é presidente desde 2013, com mandato até 2018, mas já se começa a cogitar a hipótese de ela não chegar até lá. Alguns jornais tratam o escândalo como a maior crise política da história do país e pedem a convocação de novas eleições.

Há mais de 40 anos ela é amiga de Choi, filha do líder místico Choi Tae-min, tido como mentor do pai da presidente, Park Chung-hee.

ANSA

Deixe uma resposta