Lançamento do livro Alegoria às Artes – Leon Pallière no MNBA

Foto divulgação

No próximo dia 13 de janeiro, sexta,  comemorando os 80 anos de criação do Museu Nacional de Belas Artes/Ibram/MinC,  será lançado a publicação “Alegoria às Artes –  Leon Pallière”,  de múltipla autoria, retratando o processo de restauração e a pesquisa histórica da monumental tela “Alegoria às Artes”,  atualmente em exposição no MNBA.

Encomendado pelo então diretor da Academia Imperial de Belas Artes(AIBA),  Manuel de Araújo Porto-Alegre,  a pintura de Leon Pallière mede 297 x 410 cm e foi produzida em 1855 para decorar o teto da biblioteca da Academia,  construída em 1826 e inexplicavelmente demolida entre 1937 e 1938.  

Jean-Leon Pallière Grandjean Ferreira(Rio de Janeiro, 1823/Paris 1887) estudou no ateliê de François-Edouard Picot, na capital francesa, e aos 25 anos retornou ao Brasil, tendo ingressado na Academia Imperial de Belas Artes.  O artista conquistou um Prêmio de Viagem ao Exterior e pôde assim aperfeiçoar  sua arte na Itália.  

Por seu lado,  a AIBA foi a primeira instituição de ensino oficial da arte no Brasil e seu pórtico se encontra no Jardim Botânico do Rio de Janeiro desde os anos 1940. .

A pesquisa histórica do livro, que começou a ser elaborado em paralelo ao restauro da tela,  iniciado em 2014, foi desenvolvida pelos pesquisadores Pedro Xexéo e Adriana Clen.  Entre outras descobertas,  a dupla confirmou que a tela não foi pintada na Itália e sim sob a supervisão do então diretor da Academia Imperial de Belas Artes,  o critico de arte e artista plástico Araujo Porto Alegre, aqui no Rio de Janeiro.

Outro levantamento dos pesquisadores concluiu que provavelmente a tela foi deslocada no 1º semestre de 1909 para o prédio da Escola Nacional de Belas Artes,  que atualmente abriga o Museu Nacional de Belas Artes.  

Um capítulo importante da publicação,  de autoria da restauradora Larissa Long,  aborda a história da criação do laboratório da restauração do MNBA,  no tempo da diretora Maria Elisa Carazzoni, no inicio dos anos 1970.

Para o museólogo Pedro Xexéo,  esta obra e mais os retratos que foram feitos por Leon Pallière representam as únicas obras sobreviventes que decoravam o prédio da AIBA, e representam “um importante testemunho desta época do século XIX,  de grande relevância para a formação da cultura brasileira”.

O livro “Alegoria às Artes –  Leon Pallière”,  foi escrito por Pedro Xexéo,  Adriana Clen,  Wallace e Denise Guiglemeti, Guadalupe Campos, Antonieta Middea, Fernando Vasques e Larissa Long.  A publicação da Contra-capa editora e possui 218 páginas.

Evento:  lançamento do livro “Alegoria às Artes –  Leon Pallière” – Editora Contra-capa

Data: dia 13 de janeiro, às 18h.

Endereço:  MNBA – av. Rio Branco, 199 – Cinelândia tel: 3299-0600

Entrada franca

 

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*