Linn da Quebrada se apresenta no MAR de Música, realizada pelo Museu de Arte do Rio – MAR, a festa será uma grande celebração da diversidade de gênero

Foto divulgação

O Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon, assume a curadoria do MAR de Música e promove sua próxima edição hoje, 25 de agosto (sexta-feira), a partir das 18h. Com curadoria de Gabriel Moreno e colaboração de Julia Baker, a festa que toma conta dos pilotis do museu será uma grande celebração da diversidade de gênero comandada pela cantora, dançarina e performer Linn da Quebrada, autora de singles como “Talento” e “Enviadescer”. Para animar ainda mais, o evento terá apresentações de Vogue Ball e do VJ Helô Duran (MÌWÍ), exibições de vídeos de Lyz Parayzo, além de barraquinhas de comidas e bebidas típicas da Região Portuária, uma parceria com os Vizinhos do MAR.

“Binários, não-binários, cis, trans, pênis, vagina, ânus, seios… O que define o gênero do indivíduo? Impossível definir, pois percebemos que ser ligado a um gênero não está atrelado apenas a órgãos sexuais ou padrões sociais. O gênero com o qual me identifico não está restrito a um X em caixas de formulários. Atualmente, a fluidez e a desconstrução dos padrões têm permitido maior experimentação com o que é feminino ou masculino com traduções visíveis de tais comportamentos na moda – as coleções unisex, algumas marcas não realizam mais desfiles de moda apenas feminina ou masculina – e no campo social. A arte utiliza cada vez mais a problemática de definições fechadas, alargando o entendimento do que é o feminino ou o masculino; artistas experimentam com hormônios, se transformam em seres plurais, misturam códigos masculinos e femininos”, explica Julia Baker, assessora curatorial do MAR e pesquisadora de questões da sexualidade.

Para abordar essas questões, a MC Linn da Quebrada participará de um bate-papo com o público às 17h. As senhas gratuitas devem ser retiradas com uma hora de antecipação e a ação está sujeita à lotação do espaço. O MAR de Música tem classificação etária de 16 anos e capacidade para 1500 pessoas. Os ingressos custam R$ 10 (R$ 5 meia) e oferecem entrada única, ou seja, não é permitido retornar ao evento após saída. Para acesso ao evento é necessário passar por detectores de metais e revista e é proibida a entrada com embalagem de vidro ou metal. É proibido fumar dentro da área interna do museu, mas o evento terá uma área reservada para fumantes.

Sobre a Linn da Quebrada

Transexual, negra e periférica. Cantora, dançarina e performer, Linn encontrou na música uma poderosa arma na luta pela quebra de paradigmas sexuais, de gênero e corpo. Em 2016, a artista lançou os singles “Talento” e “Enviadescer” e neste ano abriu as atividades com a música “Bixa Preta”. Em abril de 2017 estreou “blasFêmea”, sua primeira experimentação audiovisual com a faixa “Mulher” e na sequência lançou a campanha de financiamento coletivo para a produção de seu próximo álbum, Pajubá, com meta total alcançada. Nos shows, Linn da Quebrada é acompanhada pela cantora e persona Jup do Bairro, o percussionista Valentino Valentino e pelo DJ Pininga.

Sobre Lyz Parayzo

Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Manicura e puta-pornô-terrorista, Lyz Parayzo iniciou seus estudos na Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage e começou a invadir galerias de arte com intervenções estético-políticas. Como um vírus, subverteu os protocolos de poder dos espaços institucionais borrando as fronteiras do que é oficial. Tem o corpo como principal suporte de trabalho e sua performatividade diária como plataforma de pesquisa. Suas bombas-plásticas desestabilizam as tecnologias heteronormativas e coloniais, são projeções anabolizadas da sua existência. Vem desenvolvendo vídeo-instalações com conteúdo pós-pornográfico, jóias bélicas e atualmente está pesquisando as performances de gênero e classe a partir da cor em seu “Salão Parayzo”, dispositivo itinerante no qual atua como manicura. Foi indicada este ano ao Prêmio Investidor Profissional de Arte – PIPA.Este ano foi residente na Despina/ Largo das Artes dentro da segunda edição do projeto Arte e Ativismo na América Latina.

Participou de coletivas: : Mostra Performatus 2 ( SESC Santos, 2017) Os Corpos são as Obras ( Largo das Artes, 2017) Imersões ( Casa França-Brasil, 2017); Abre Alas 13 ( Galeria A Gentil Carioca, 2017); 2 Gran Bienal Tropical (Porto Rico, 2016); Bem Me Cuir(Centro Municipal Laurinda do Santos, Rio de Janeiro, Brasil, 2016); Descamada (Antiga Fábrica da Bhering, Rio de Janeiro, Brasil, 2016); Experiência n6 – Compasso Binário (Mesa, Rio de Janeiro, Brasil, 2016), entre outros locais.

O Museu de Arte do Rio – MAR

O MAR é um espaço dedicado à arte e à cultura visual. Ocupa dois prédios na praça Mauá: um de estilo eclético, que abriga o Pavilhão de Exposições; outro em estilo modernista, onde funciona a Escola do Olhar. O projeto arquitetônico une as duas construções com uma cobertura fluida de concreto, que remete a uma onda – marca registrada do museu –, e uma rampa, por onde os visitantes chegam aos espaços expositivos.

Uma iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o MAR tem atividades que envolvem coleta, registro, pesquisa, preservação e devolução à comunidade de bens culturais. Espaço proativo de apoio à educação e à cultura, o museu já nasceu com uma escola – a Escola do Olhar –, cuja proposta museológica é inovadora: propiciar o desenvolvimento de um programa educativo de referência para ações no Brasil e no exterior, conjugando arte e educação a partir do programa curatorial que norteia a instituição.

O MAR é gerido pelo Instituto Odeon, uma organização social da cultura, selecionada pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro por edital público. O museu tem o Grupo Globo como mantenedor, o BNDES como patrocinador da Reserva Técnica e a Repsol como apoiadora de exposição Dja Guata Porã | Rio de Janeiro indígena.

A Escola do Olhar tem o Sistema Fecomércio RJ, por meio do Sesc, como parceiro institucional, e conta com o Banco Votorantim e a Prodiel como apoiadores. A Brookfield apoia as visitas educativas. O programa MAR na Academia tem apoio da Dataprev e da Amil One Health via Lei Municipal de Incentivo à Cultura, e da Aliansce via Lei Rouanet.

O MAR conta também com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, e realização do Ministério da Cultura e do Governo Federal do Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Serviço

Ingresso: R$ 20 I R$ 10 (meia-entrada) – pessoas com até 21 anos, estudantes de escolas particulares, universitários, pessoas com deficiência e servidores públicos da cidade do Rio de Janeiro. O MAR faz parte do Programa Carioca Paga Meia, que oferece meia-entrada aos cariocas e aos moradores da cidade do Rio de Janeiro em todas as instituições culturais vinculadas à Prefeitura. Apresente um documento comprobatório (identidade, comprovante de residência, contas de água, luz, telefone pagas com, no máximo, três meses de emissão) e retire o seu ingresso na bilheteria. Pagamento em dinheiro ou cartão (Visa ou Mastercard).

Bilhete Único: R$ 32 – R$ 16 (meia-entrada) cariocas e residentes no Rio de Janeiro, mediante apresentação de documentação ou comprovante de residência comprobatórios. Serão considerados documentos comprobatórios aqueles que contenham o local de nascimento, tais como RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc. Serão considerados comprovantes de residência os títulos de cobrança com no máximo 3 (três) meses de emissão, como serviços de água, luz, telefone fixo ou gás natural, devidamente acompanhado de documento oficial de identificação com foto (RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc.) do usuário.

Política de gratuidade: Não pagam entrada – mediante a apresentação de documentação comprobatória – alunos da rede pública (ensinos fundamental e médio), crianças com até 5 anos ou pessoas a partir de 60, professores da rede pública, funcionários de museus, grupos em situação de vulnerabilidade social em visita educativa, Vizinhos do MAR e guias de turismo. Às terças-feiras a entrada é gratuita para o público geral.

Terça a domingo, das 10h às 17h. Às segundas o museu fecha ao público. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (55 21) 3031-2741 ou acesse o site www.museudeartedorio.org.br.

Endereço: Praça Mauá, 5 – Centro.

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*