Luisa Thiré reabre teatro do Planetário da Gávea, com “Valsa nº6”

Foto: Hugo Cecatto

Luisa Thiré estrela “Valsa Nº 6”, peça convidada pela Prefeitura do Rio, para reabrir o Teatro Maria Clara Machado, dia 23 de agosto, comemorando o aniversário de Nelson Rodrigues, autor da obra.

Claudio Torres Gonzaga assina a direção do espetáculo,que, depois de 3 lindas temporadas no Rio de Janeiro e apresentações em vários palcos do Brasil e do mundo, vem fazer apresentação especialíssima, dia 23 de agosto, no TEATRO MARIA CLARA MACHADO.

No dia 29 de junho de 2012 a atriz Luisa Thiré estreou, no Rio de Janeiro, o espetáculo teatral “Valsa Nº 6”, de Nelson Rodrigues, sob a direção de Claudio Torres Gonzaga. A montagem cumpriu sua primeira temporada entre 29 de junho e 29 de julho e, após uma pequena tournée, fez nova temporada, no mesmo teatro, de 28 de setembro a 25 de novembro de 2012, sempre de sexta a domingo e em 2013, a convite da Funarte,depois de muito viajar, voltou para o Rio de janeiro, em Junho, no Teatro Dulcina.

Com uma crítica linda, escrita por Bárbara Heliodora e publicada no Jornal O Globo, VALSA N° 6 foi convidada para participar de diversos festivais e mostras teatrais pelo Brasil e também Portugal e Cabo Verde, ficando em cartaz, portanto durante os anos de 2012 e 2013.

Na peça, único monólogo escrito por Nelson Rodrigues, Luisa interpreta Sônia, uma menina assassinada aos 15 anos de idade, que tenta desvendar o mistério de seu passado. Tendo como trilha sonora a Valsa Nº 6 de Chopin, a jovem vai aos poucos, em meio a seus delírios e memórias, revelando uma trama de assassinato e intrigas.

Luisa Thiré elegeu o monólogo por ser um sonho antigo. “Eu li e reli “Valsa Nº 6” muitas vezes, desde os tempos de Tablado e Uni Rio. Sempre tive vontade de fazer esta peça, mas agora eu me senti pronta internamente e o centenário do Nelson veio como um impulso para ela acontecer”, conta Luisa.

Para dividir com a atriz a empreitada, Luisa convidou o ator, diretor e amigo Claudio Torres Gonzaga, com quem já atuou, em 1989, no espetáculo “Sonhos de um Sedutor”. “Claudio é um grande companheiro. Desde que montamos esse espetáculo ficamos muito amigos. Eu estava fazendo uma assitência de direção para ele em uma outra peça e, quando vi, o diretor já estava na minha frente. Ele é um excelente diretor de ator, grande amigo, sabe tudo de Nelson Rodrigues e eu tinha certeza que ele ia saber cuidar de mim como ninguém. Durante os ensaios e temporada, Cláudio tem sido minha âncora e minhas asas”, declara.

O ator, diretor e autor Claudio Torres Gonzaga é atualmente redator de “Os Caras de Pau”, humorístico da Rede Globo. Já assinou a redação final de diversos humorísticos, dentre os quais destacam-se “A Grande Família”, “Sob Nova Direção”, “Zorra Total”, “Chico Total”, “Escolinha do Professor Raymundo”, “Sai de Baixo”, além das séries “Malhação” e “Brava Gente”. Dirigiu o espetáculo teatral “Enfim Nós”, escrito em parceria com Bruno Mazzeo, atualmente em cartaz, e ainda comanda a trupe do espetáculo de stand up comedy “Comédia em Pé”. Sua longa trajetória no teatro também inclui a direção de grandes espetáculos, como “Boca de Ouro” e “A Mulher sem Pecado”, ambos de Nelson Rodrigues; “Os famosos Quem?”, de Bruno Mazzeo; “ A Comédia dos Erros”, de William Shakespeare, dentre outros.

O artista plástico e cenógrafo Sérgio Marimba concebeu um cenário que, não sendo realista, deixa o espectador criar junto,a partir da própria imaginação e com o desenrolar da trama , a atmosfera em que se desenrola a cena. A premiada Teca Fichinski criou o premiadíssimo figurino, basicamente composto por um longo vestido, que traduz a essência da personagem morta aos 15 anos, presa às suas lembranças. O vestido ocupa quase todo o espaço cênico, amarrando a personagem e também transformando em ações, personagens e imagens que ajudam a desenhar a história. Luisa Thiré sobe ao palco contando também com a iluminação de Luiz Paulo Nenén, a direção de movimento de Kika Freire e a trilha sonora de Tomás Gonzaga, que teve duas indicações para pêmio: PREMIO APTR E PREMIO QUESTÃO DE CRÍTICA 2012 DE MELHOR TRILHA SONORA.

Essa apresentação tem um sabor muito especial, pois dia 23 de agosto, é aniversário também de Tônia Carreiro, avó de Luisa.

 

 

 

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*