Matheus VK faz show no Galpão Gamboa, acompanhado de Bem Gil, Davi Moraes e da festa carioca Rebola

Foto divulgação

Matheus VK recebe os guitarristas Bem Gil e Davi Moraes para show eletro acústico, seguido de edição da festa carioca Rebola, no dia 12 de agosto, sábado, no Galpão Gamboa. Enquanto Davi Moraes irá cantar sua composição “Na massa”, em um arranjo com beats eletrônicos e guitarras, Bem Gil interpretará “Está na cara, está na cura”, de seu pai, Gilberto Gil. Juntos, eles levam ao palco, ainda, duas músicas do disco “Muitos Carnavais” de Caetano Veloso: “Chuva, suor e cerveja” e a faixa que dá título ao álbum. “Nos três adoramos esse disco”, comenta Matheus VK.

Matheus VK também vai apresentar as músicas do EP “Purpurina”, com destaque para “Movimento Rebolático“, que ganhou clipe recentemente. “Além dessas, vamos fazer um arranjo com três guitarras pra minha música “Desbunde”, que também faz parte do EP”, explica Matheus VK.

O EP “Purpurina”, com sete músicas, foi lançado no começo do ano, com uma sonoridade contemporânea e eletrônica que flerta com a pista de dança, sem abandonar a pluralidade de estilos que sempre marcou o trabalho de Matheus VK. O EP traz as canções inéditas “Retocada”, que é um bolero com um eu-lírico trans, “Desbunde”, um frevo eletrônico, “Purpurina”, uma homenagem ao disco “Realce”, de Gilberto Gil, e “Amor de Carnaval” um funk carioca estilo anos 90. Juntam-se a essas novas canções a Trilogia do Triângulo do Quadril, lançada no final do ano passado, que fala mais sobre a consciência corporal neste processo de carnavalização, com as músicas “La Malemolência”, “Pélvis” e “Movimento rebolático”.

Festa Rebola

Rebola é um coletivo de arte, uma festa, um movimento, que fala da ancestralidade brasileira assim como da sua contemporaneidade. Sons produzidos pelas periferias do mundo se conectam pela batida do tambor ancestral e apontam para o futuro. O coletivo é formado pelos artistas João Penoni, Bruno Balthazar, Helô Duran e outros colaboradores convidados a cada edição. Em outubro de 2014, a primeira de muitas esculturas de luz, desenhos originais de bambu, LEDs e outros objetos luminosos, foi criada pelos artistas do coletivo. Símbolo do nosso encontro, que aconteceu também no Festival Panorama de Dança ainda em 2014, em edições na quadra da Escola de Samba Vizinha Faladeira, no tradicional Clube dos Democráticos, com a participação do primeiro bloco afro do Rio de Janeiro – Agbara Dudu e novos produtores da música eletrônica brasileira como Felipe Sá e Carrot Green.

Em maio de 2015 ,o coletivo foi selecionado para fazer o encerramento da Exposição Encruzilhada no Parque Lage com curadoria de Bernardo Mosqueira. Entre muitas outras edições, em fevereiro de 2017, foi selecionado como uns dos trabalhos da exposição Abre-alas, da galeria A Gentil Carioca. A Rebola e suas esculturas de luz falam de raízes, de ancestralidade e futuro, iluminam sem preconceito e reconhecem a cada um de nós, incorporadores da festa. Propõem a construção de uma grande mitologia urbana, onde cada personagem se revoluciona na dança. Sob sua “Forma de Luz” o lema, as “bundas não vão parar”, nasce, porque a revolução se faz a partir do corpo. Já dizia Emma Goldman (1869 — 1940) “se não puder dançar, não é minha revolução”.

Matheus VK
Psicólogo por mais de 7 anos, Matheus VK largou o consultório para comandar a libertação dos quadris em seus animados e purpurinados shows. Matheus é ícone de um novo hétero, doce, sensível, que usa maquiagem e convida o público a rebolar como uma espécie de pequena revolução pélvica. “De certa forma, tenho levado as teorias do consultório de psicologia para o meu trabalho musical, desconstruindo a ideia do homem macho e propondo o contato com o corpo. Estimular o público a mexer a pélvis, dançando, nos shows, é tão terapêutico, para o artista, quanto às sessões do tempos de consultório”, analisa.

Matheus VK faz música há mais de uma década e já lançou três álbuns de carreira: “Vagalume”(2014), “MVK” (2010) e “Outros Tempos” (2008), e também o DVD “Durantes” (2012). Além de ser vocalista do bloco carioca Fogo & Paixão, especializado em versões carnavalescas de clássicos do brega popular, é compositor do bloco “Bangalafumenga”. Juntos, os dois blocos levam mais de 130 mil pessoas às ruas do Rio de Janeiro.

SERVIÇO:
Matheus VK, Bem Gil, Davi Moraes e Rebola
12/09, às 22h

Galpão Gamboa
http://galpaogamboa.com.br
Rua da Gamboa, 279 – Gamboa
Tel.: (21) 2516-5929

Preços
Lote 1 – 30,00 (100 ingressos)
Lote 2 – 40 (200 ingressos)
Lote 3 – 50,00 – no dia

Para saber mais sobre Matheus VK

EP Purpurina:
https://open.spotify.com/album/7Ktz0FsmRfCSeT5Cutf4BP

Mídias sociais:
http://www.matheusvk.com.br/
http://soundcloud.com/mvksom
http://www.youtube.com/MVKsom
http://www.facebook.com/matheusVKoficial
http://twitter.com/matheusVK

 

 

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*