MP-RJ move ação contra servidores por fraudes no Detran de Magé

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) ajuizou ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o presidente afastado do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE), Aloysio Neves Guedes, e o servidor do TCE e ex-secretário municipal de Habitação e Urbanismo de Magé, André Vinícius Gomes da Silva.

O MP requer o afastamento de Aloysio Guedes do cargo no TCE, em caráter liminar, e a indisponibilidade dos bens dos demandados, no valor individual de R$ 3,047 milhões. A ação foi distribuída para a 16ª Vara de Fazenda Pública da Capital.

De acordo com a petição inicial, uma ligação telefônica legalmente interceptada entre Aloysio Guedes e André Vinícius aponta que, em outubro de 2014, o presidente afastado do TCE usou de sua influência como conselheiro do órgão para solicitar ao então secretário estadual de Governo, Affonso Henriques Monnerat Alves da Cruz, a nomeação de pessoas não identificadas para cargos no Detran de Magé.

Segundo o MP, os indicados por Aloysio Guedes podem ter participado de esquema de fraudes no Detran, comandado por André Vinícius.

Denúncia

Segundo os promotores, Aloysio Guedes também tinha ciência de fraudes que envolvia o pagamento de propina para o fornecimento ilegal de documentos obrigatórios aos veículos, em esquema executado por funcionários e ex-funcionários do Detran de Magé e liderado por André Vinícius.

De acordo com a ação, mesmo com conhecimento dos fatos, Aloysio Guedes, ainda no exercício das funções de conselheiro do TCE deixou de cumprir seu dever e não apresentou qualquer representação contra as fraudes ao Tribunal de Contas, ao MP ou à Corregedoria do Detran.

O esquema de corrupção no Detran de Magé foi alvo de investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ), que resultaram na operação Asfalto Sujo II, na qual a prisão cautelar de André Vinícius foi decretada. No curso das apurações, foi interceptada a ligação entre o presidente afastado do TCE e o ex-secretário de Magé.

Aloysio Guedes foi afastado pela Justiça cautelarmente da presidência do Tribunal de Contas em abril deste ano em razão de investigação criminal , mas responde em liberdade a acusações de fraude em suposto esquema de recebimento de propinas por alguns conselheiros do TCE.

Agência Brasil

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*