No livro Oração – Poderes e Efeitos, Alexis Carrel aponta a prática de orar como um apoio essencial aos pacientes em recuperação

Foto divulgação

Atualmente fala-se muito em Mindfulness e meditação, mas Alexis Carrel, vencedor do prêmio Nobel de Medicina, já no século XX defendia a oração e a organização dos pensamentos, como uma forma de medicina curativa e muito eficiente. No livro Oração – Poderes e Efeitos, pela Mantra, a intenção do autor é demonstrar os benefícios da reza para pacientes em recuperação.

Além de definir a oração, como, onde e quando orar e qual o poder, efeito e resultado que a envolve, o autor discorre sobre o aspecto medicinal desta prática. A busca está em compreender o âmbito psicobiológico e, apesar de presenciar a cura espontânea de uma paciente com peritonite tuberculosa, doença que envolve um tratamento cirúrgico, Carrel nunca utilizou o termo “milagre”.

Em suma, a tese defendida pelo escritor é que a oração evita vibrações desorganizadas da mente, proporciona alívio, conforto e forças para se passar por qualquer experiência. Faz com que o indivíduo se mantenha em um ambiente calmo, revitalizante e benéfico, e desta forma, acarreta paz interior e exterior, harmonia e realização espiritual. Consequentemente, uma saúde melhor.

Quando a oração é habitual e realmente ferverosa, sua influência fica muito clara. Ela é, de certo modo, comparável à influência de uma glândula de secreção interna, como a tireóide ou suprarrenal, por exemplo. Trata-se de uma espécie de transformação mental e orgânica. – Alexis Carrel

O que difere esta de outras obras sobre o mesmo tema é a voz de um médico que acredita no inegável poder curativo da oração.

Sobre o autor: Cirurgião, biólogo e escritor, nasceu na França em 1873. Em 1912, recebeu o Prêmio Nobel por seu sucesso em suturar vasos sanguíneos, técnica que permitiu, no futuro, o transplante de órgãos. Em 1934, com o colega Charles A. Lindbergh, desenvolveu um coração artificial. Contribuiu grandemente para a Medicina e a Filosofia. Morreu em 1944.

 

Deixe uma resposta