Policiamento é reforçado após tumulto em reintegração de posse no Horto

Rio de Janeiro - PM e moradores entram em confronto em reintegração de posse no Horto, na zona sul da capital fluminense. Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil.

O policiamento está reforçado nesta terça-feira (8), na região do Horto, no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio, após um grande tumulto que aconteceu durante a operação de reintegração de posse na manhã de ontem (7).

Os policiais foram cumprir a desocupação de uma casa na Rua Pacheco Leão. À tarde, as ruas Jardim Botânico e Pacheco Leão foram interditadas durante protesto. Houve tumulto e policiais militares usaram bombas de efeito moral e spray de pimenta. 

Pelo menos dois idosos ficaram feridos e dezenas de pessoas passaram mal com gás lacrimogêneo. Durante o tumulto, uma canaleta do histórico Aqueduto da Levada foi quebrada e foi ateado fogo à porta do setor de Conservação da Área Verde do Jardim.

O Instituto de Pesquisas Jardim Botânico informou que um artefato foi lançado contra o setor de compostagem do horto florestal por volta das 22h15 de ontem. De acordo com a nota, o mais provável é que tenha sido um coquetel molotov, artefato improvisado feito a partir de combustível e fogo, que atingiu um carro do instituto. A invasão foi registrada na Delegacia de Polícia da Gávea (15ª DP).

Ao mesmo tempo, um grupo de cerca de 25 homens encapuzados invadiu o parque e rendeu o segurança do local. Segundo o Jardim Botânico, os invasores roubaram uma arma, um rádio de comunicação e dois celulares. Eles ficaram no local até cerca de 3h30 de hoje.

O parque acredita que a ação tenha sido uma retaliação contra o Jardim Botânico, em resposta à retirada ontem de moradores da comunidade do Horto, que fica dentro dos limites do parque e cuja desocupação foi determinada pela Justiça há cerca de dois anos.

Desde os anos 80, a União tenta reaver a área original do Horto. Em 2013, o Governo Federal analisou o perímetro do Jardim Botânico e elaborou um plano. O plano foi feito com base em documentos técnicos e históricos.

Deixe uma resposta