Republicanos desistem de esvaziar órgão de ética que investiga Congresso

O Congresso norte-americano, dominado pelo Partido Republicano, teve de voltar atrás e desistir da proposta, aprovada anteriormente pelos representantes do partido, de esvaziar o órgão independente destinado a investigar desvios éticos de deputados e senadores.

A desistência frustrou a expectativa dos congressistas republicanos e obrigou o partido a cancelar uma agenda de medidas históricas previstas por deputados e senadores eleitos recentemente. A nova legislatura começou em 3 de janeiro de 2017 e só vai terminar em 3 de janeiro de 2019. O plano dos congressistas era aprovar as medidas anunciadas pelo presidente eleito Donald Trump durante a campanha e eliminar uma série de realizações do presidente Barack Obama, eleito pelo Partido Democrata, inclusive o seu programa de assistência à saúde denominado Obamacare.

O órgão de ética foi criado em 2008, após vários escândalos de corrupção no Congresso norte-americano denunciados pela imprensa. Muitos congressistas queriam esvaziar ou acabar com o órgão de ética, alegando que a repartição trabalhava muito rápido para condenar parlamentares em vez de investigar a fundo as acusações.

Na noite de segunda-feira (2), em uma sessão pré-inaugural, os membros do Partido Republicano votaram para reestruturar o órgão de ética do Congresso, retirando sua independência e colocando a repartição sob o comando de um comitê do Congresso.

Ao saber da decisão, o presidente eleito Donald Trump postou ontem uma mensagem no Twitter dizendo que o momento da mudança no órgão de ética era inadequado. Ele chamou a atenção dos congressistas, afirmando que essa jamais deveria ser prioridade para um Congresso recém-eleito. “Concentrem-se na reforma tributária, na saúde e em tantas outras outras coisas de maior importância!”, disse Trump no Twitter.

A postagem do presidente eleito provocou uma reunião urgente dos líderes republicanos. Ao final do encontro, a porta-voz da presidência da Câmara dos Representantes, AshLee Strong, anunciou que os líderes republicanos tinham desistido das mudanças no órgão independente de ética.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here