Roma tenta vetar fogos de Ano Novo, mas Justiça nega

O Tribunal Administrativo Regional (TAR) do Lazio emitiu um decreto cautelar suspendendo uma ordem da prefeita de Roma, Virginia Raggi, que vetava fogos de artifício entre 29 de dezembro e 1º de janeiro.

Anunciada na semana passada, a medida tinha como objetivo “garantir a incolumidade pública, a segurança urbana e a proteção dos animais”. Além disso, eram previstas multas de 25 a 500 euros (de R$ 85 a R$ 1,7 mil) para quem violasse a norma.

O texto proibia o uso de “material pirotécnico” a menos de 200 metros de centros habitados, tanto por pessoas quanto por bichos, em uma iniciativa inédita na capital italiana. Em 2015, ainda antes da chegada de Raggi ao poder, a Prefeitura havia vetado fogos de artifício apenas na área do Circo Máximo, onde ocorreu o show de fim de ano em Roma.

A decisão do TAR do Lazio é apenas provisória, e o tribunal se reunirá no próximo dia 25 de janeiro, já depois do Ano Novo, para discutir o mérito da questão. Aos 38 anos, Raggi é a primeira prefeita mulher na história da “cidade eterna” e está no cargo desde junho de 2016, quando foi eleita pelo partido antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S).

Desde então, viu sua administração ser cercada por escândalos envolvendo assessores, culminando na prisão do chefe do Departamento de Pessoal de Roma, Raffaele Marra, acusado de corrupção.

ANSA

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*