Totti veta uso de imagem por eleitores do ‘não’ em referendo

O ídolo da Roma Francesco Totti pediu que eleitores do “não” no referendo constitucional de 4 de dezembro parem de usar sua imagem em propagandas contra o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi.

Críticos do premier resgataram um vídeo no qual “il Capitano” provoca o ex-zagueiro Igor Tudor no fim de uma goleada por 4 a 0 sobre a Juventus, em 2004. Nas imagens, Totti faz um sinal de quatro e de “vá para casa” com as mãos.

No entanto, elas passaram a ser usadas para pedir a saída de Renzi, já que o referendo será realizado no dia 4 de dezembro. Além disso, o principal argumento dos grupos contrários à reforma constitucional é justamente o de mandar o primeiro-ministro “para casa”.

À ANSA, o meio-campista da Roma disse que não quer que sua imagem seja usada para fins políticos. “Ainda menos no âmbito do debate eleitoral, que deveria estar restrito ao mérito do referendo, evitando instrumentalizações inúteis”, declarou o craque.

Isso já havia acontecido anteriormente em 2014, quando eleitores do Partido Democrático (PD), liderado por Renzi, fizeram uma montagem com o rosto do premier no lugar do de Totti para celebrar a contundente vitória obtida pela sigla nas eleições europeias. Na ocasião, o jogador não reclamou.

Ao pedir para o debate se restringir ao mérito da reforma, de certa maneira o meio-campista faz eco à postura do primeiro-ministro, que tenta tirar da consulta popular de 4 de dezembro o caráter de referendo sobre seu governo.

A votação do próximo domingo decidirá sobre a reforma que acaba com o bicameralismo paritário na Itália e transfere competências das Regiões para o Estado, e Renzi já prometeu renunciar em caso de derrota.

ANSA

Deixe uma resposta