Turismo e aventura no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Foto: Crédito: Geraldo Gurgel/ MTur

Ainda faz frio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, mas desde o início de junho, quando o nível do Rio Preto baixou, 340 turistas já fizeram a Travessia das 7 Quedas. São brasileiros de todas as regiões, principalmente do Distrito Federal, além de visitantes da Venezuela, França, Guatemala, Irlanda, Bélgica e Itália. A travessia tem como atração principal a sucessão de quedas d´ água. Até o final de outubro, quem desejar fazer o percurso de 23,5 km precisa reservar com antecedência ou entrar na lista de espera para os dias mais disputados.

Em julho, período das férias escolares, o parque também abrira às segundas-feiras. A procura supera o número de vagas nos finais de semana. Apenas 30 pessoas por noite, amantes de longas caminhadas, têm o privilégio de armar a barraca e dormir ao som da cachoeira. A pausa para banho e descanso, após um dia de caminhada, fica a 17 km do início da trilha e a previsão é que outra área de camping deverá ser aberta ao longo do percurso.

A Agência de Notícias do Turismo acompanhou, no último fim de semana de junho, 12 turistas de Brasília, inscritos na travessia desde maio, quando as vagas foram abertas. Juntaram-se ao grupo, os estudantes Victor e Júlia que acompanhavam a mãe Paula Faurr e a paulista Fernanda Assuiti, engenheira eletricista apaixonada por trekking. O percurso é bem sinalizado e intercalado por pontes de madeira e pinguelas sobre nascentes e riachos.

A trilha margeia cânions e corredeiras. Alguns trechos são acidentados e tornam o nível do percurso muito pesado. A paisagem é marcada pela vegetação típica do Cerrado, além das veredas e formações rochosas. Na metade do caminho, o turista faz a primeira travessia do Rio Preto, só permitida na época da seca quando o nível da água baixa. O local é conhecido como Fiandeiras. Hora de um banho refrescante, reabastecimento de água e lanche reforçado para continuar a caminhada desbravando o Cerrado.

Na trilha história, o turista refaz o caminho utilizado por garimpeiros em busca de ouro e cristal antes da decadência da mineração. O ecoturismo na região teve início após a criação do parque, em 1961. A área de 65 mil hectares foi ampliada para 240 mil hectares, no último dia 5 de junho, e ganhou vários atrativos que estavam no entorno e desprotegidos, entre eles, as cachoeiras do Abismo, Santana e Simão Correia e o Mirante da Janela.

 A abertura da trilha de longo curso Sertão Zen e uma portaria de acesso, em Cavalcante, estão nos planos do chefe do parque, Fernando Tatagiba. Em 2001, o Parque da Chapada dos Veadeiros foi declarado Patrimônio Mundial Natural da UNESCO pela diversidade animal e de formações vegetais. São centenas de nascentes e cursos de água, rochas com mais de um bilhão de anos, além de paisagens que se alteram durante a seca e a estação chuvosa. Em 2016, o parque recebeu 65 mil visitantes e este ano, 30 mil turistas já visitaram a unidade de conservação.

OUTROS ATRATIVOS

Trilha Seriema (1h30) – É a menor trilha do parque e comporta 30 visitas por dia. O percurso de 800 metros, ida e volta em terreno plano, é ideal para pessoas com dificuldade de locomoção se integrarem à natureza. Idosos, grávidas e crianças podem caminhar até o córrego Rodoviarinha, com possibilidade de banho na época das chuvas.

Trilha dos Cânions I e II (4h – 6h) – O caminho de 12 km, ida e volta, é pedregoso, passando por sombras, bicas com água e paisagens belíssimas. São 6 km até a Cachoeira da Carioca em uma bifurcação do rio Preto com poço em descida íngreme e mais 800m até o Cânion I. No Cânion II, o visitante atravessa blocos de pedra até um enorme poço para banho. A capacidade é de 200 visitantes por dia.

Trilha dos Salto (4h – 6h) – O terreno é acidentado e bastante pedregoso passando pelo maior garimpo de cristal de quartzo da região. São 11 km de caminhada, ida e volta. No km 4 chega-se ao Mirante do Salto. Já a 800 metros fica o Salto de 80m, onde é possível tomar banho no poço. Depois de uma subida íngreme de 800 metros e mais 1,5 km de caminhada chega-se às Corredeiras do Rio Preto, onde também é possível tomar banho com hidromassagens nas pequenas quedas. São permitidas 250 visitas por dia.

Recomendações: Em caso de incêndio e chuva forte, o parque poderá fechar. O portão fica aberto de 8h às 18h com entrada até meio-dia para os demais atrativos e, no máximo, às 10h para o início da Travessia das 7 Quedas. É proibido fazer fogueira. Use fogareiro a gás para cozinhar. Utilize sabão e produtos de higiene biodegradáveis para não comprometer a qualidade da água. Leve lanterna, protetor solar, purificador de água, repelente e antialérgico. Recolha o lixo e não esqueça de contratar o resgate na saída do parque. A trilha termina a 12 km de São Jorge e 24 km de Alto Paraíso.

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*