Operação da PF desmonta esquema de fraudes à Previdência no Rio

Uma operação da Polícia Federal (PF), desencadeada nesta quarta-feira (25), flagrou um esquema fraudulento que teria causado prejuízo de, pelo menos, R$ 1,2 milhão à Previdência. A ação, segundo nota divulgada pela assessoria da PF, focou o pagamento irregular de benefícios assistenciais a pessoas com mais de 65 anos de idade que nunca trabalharam ou pessoas com deficiência incapacitante.

As investigações foram executadas pela Força-Tarefa Previdenciária, formada pela Polícia Federal, Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal. A suspeita inicial apontou para um único endereço, no bairro de Madureira, responsável por uma grande quantidade de benefícios, onde foram feitas buscas e apreensões.

De acordo com a PF, o esquema contava com a participação de um intermediário, que atuava como procurador. Em sua residência, os policiais apreenderam documentos de outras pessoas vinculadas a benefícios previdenciários. Foram identificados 41 benefícios com indícios de fraude, com prejuízo mensal à Previdência de cerca de R$ 40 mil, com um rombo total estimado em mais de R$ 1,2 milhão. A nota divulgada pela PF não informa se houve prisão do suspeito.

Segundo explicação obtida na página da Previdência, o Benefício da Prestação Continuada (BPC) da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) é a garantia de um salário mínimo mensal ao idoso com 65 anos ou mais ou à pessoa com deficiência de qualquer idade com impedimentos de natureza física, mental, intelectual ou sensorial de longo prazo. Para ter direito, é necessário que a renda por pessoa do grupo familiar seja menor do que um quarto do salário mínimo vigente.

Agência Brasil

Joias Nativas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

*